Notícias

Lula diz que benefício dado a Daniel Silveira foi “decisão estúpida” de Bolsonaro

Foto: Reprodução
Lula diz que benefício dado a Daniel Silveira foi 22decisão estúpida22 de Bolsonaro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira, em entrevista a sites e blogueiros de esquerda, que o presidente Jair Bolsonaro (PL) tomou uma “decisão estúpida” ao conceder indulto da graça ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ).

O petista ainda justificou que não comentou o caso antes para não ajudar o atual mandatário a dominar o noticiário.

“Eu acho que o Bolsonaro foi estúpido quando fez essa decisão, essa graça que ele fez. Porque ele acha que é graça mesmo, não do benefício jurídico, mas graça do ponto de vista de sorrir. Acho que ele foi medíocre.”, disse Lula, que não havia sido perguntado sobre o assunto.

O ex-presidente ainda frisou que o objetivo de Bolsonaro era pautar as discussões políticas.

“Ele abafou o Carnaval. Tudo que ele quer é permanecer no noticiário e não interessa se é por coisa boa ou ruim. Do jeito que ele é pode ser ruim que ele gosta assim mesmo.”

Lula disse também não ver necessidade de conversar com pastores e defendeu o diálogo direto com o povo evangélico. O petista ainda afirmou que o seu governo, caso eleito, não tem que ser “necessariamente mais à esquerda”.

“A gente não tem que conversar com pastor. Não tem que ficar atrás daquele farofeiro que fala, fala, fala em nome de Deus cometendo pecado todo dia. Até porque utilizar o nome de Deus em vão é um pecado. Temos que conversar com o povo, o homem e a mulher evangélica.”, respondeu Lula, ao ser questionado sobre como seria a sua relação com os evangélicos.

O ex-presidente falou ainda que “não se pode confundir o povo evangélico com alguns pastores”. Ele elogiou essa parcela da população dizendo que eles são “espertos, inteligentes e cuidam da família como se deve cuidar”. De acordo com o petista, nas conversas é preciso enfatizar que em seu governo os evangélicos foram mais bem tratados porque ganhavam mais e comiam melhor.

Lula ainda atacou o presidente Jair Bolsonaro ao dizer que o atual mandatário, apesar de fazer discurso para os religiosos, “não acredita em Deus”.

No começo do mês, Lula enfrentou desgate com os evangélicos ao afirmar que toda mulher deveria ter direito ao aborto.

Ainda na entrevista desta terça-feira, o ex-presidente foi perguntado sobre como um novo governo seu se posicionaria do ponto de vista ideológico e negou a intenção de fazer um governo mais à esquerda.

“Necessariamente eu não tenho que ser um presidente mais à esquerda ou mais à direita ou mais ao centro, eu tenho que ser presidente. Conhecer a realidade e saber o que pode ser feito.”, respondeu.

Novamente, Lula atacou o teto de gastos e disse que o mecanismo serve apenas para favorecer banqueiros.

“Nós não aceitamos a lei do teto de gastos. Até porque essa coisa do teto de gastos foi feita para garantir que os banqueiros tivessem o deles no final do ano.”

Em outro momento, criticou o grande número de aposentados dentro das Forças Armadas. Disse que dois terço do orçamento usado na Defesa vai para pagar aposentadorias. Alegou, porém, que essa é uma realidade impossível de ser alterada com a atual composição do Congresso.

Por mais de uma vez na entrevista, Lula falou sobre a regulação dos meios de comunicação. Disse que jornais e revistas não seriam atingidos.

“Como fazer (a regulação) eu não sei, mas eu só sei que vocês participar desse debate.”, afirmou Lula ao bloqueiros e youtubers.

“Que precisa ser regulado precisa ser regulado.”, acrescentou.

Lula afirmou ainda que, em sua visão, o dinheiro da comunicação precisa ser distribuído.

“Inclusive para garantir ao que eles chamavam até outro dia de blogueiros sujos o direito a ter acesso na participação de dinheiro da comunicação deste país. Senão, vai tudo para os mesmo sempre.”

O ex-presidente ainda disse que Bolsonaro o ataca porque tem medo que ele vença a eleição no primeiro turno.

“O Bolsonaro, eu sei que de vez em quando, ele faz discurso me chamando de ladrão. Com a família que ele tem? Não tem sentido.”

O petista ainda criticou os decretos de sigilos de documentos imposto pelo presidente, que, em alguns casos, chegam a 100 anos.

“Nós vamos ter que desvendar essas mentiras.”

0 %