Comportamento

Mãe de 8 filhos, que teve as pernas amputadas, é ofendida nas redes: “Não deveria ter filhos”

Muitos usuários fazem comentários ofensivos, dizendo que ela “nunca deveria ter sido mãe” ou que não tem “capacidade de cuidar das crianças por ser amputada”.



Ella-Louise Clarke, de 30 anos, compartilhou recentemente em suas redes sociais as ofensas que recebe de pessoas anônimas com frequência. Mãe de oito crianças, ela expôs um momento de sua vida no TikTok, contando quando precisou amputar parte das pernas depois de dar à luz seu filho caçula.

As ofensas começaram a aparecer mais depois que a jovem contou sobre a amputação. P que a maioria das falas gira em torno da maternidade e da forma como cria suas crianças. Mesmo sem compartilhar sua rotina, os anônimos passaram a atormentá-la, dizendo que ela deveria “fechar as pernas” se não quisesse perder as crianças, e coisas ainda piores.

Uma outra usuária questiona a qualidade da criação de Ella, usando apenas a justificativa de que a quantidade de filhos que ela tem é incompatível com o fato de ela ser uma pessoa com deficiência.


A mãe procura, a todo momento, explicar que as ofensas não condizem com a realidade, e que seus filhos são extremamente amorosos e estão aprendendo, desde muito cedo, como tratar pessoas com deficiência.

Tentando ser didática em seu conteúdo, Ella faz questão de responder aos comentários odiosos, explicando por que são “descabidos” e “sem nenhum fundamento”. Em uma publicação, ela ainda reforçou que ela e as crianças são felizes, e, em vários momentos, compartilha vídeos dançando com os filhos.

Direitos autorais: reprodução TikTok/@ella_amputee_mum_to_8.

Direitos autorais: reprodução TikTok/@ella_amputee_mum_to_8.


A amputação aconteceu em dezembro de 2015, quando acabou entrando em trabalho de parto na 34ª semana de gestação. Como ainda era muito cedo para o filho nascer, os médicos lhe aplicaram algumas injeções de esteroides, para que os pulmões da criança ficassem finalmente prontos para encarar o mundo aqui fora.

Direitos autorais: reprodução TikTok/@ella_amputee_mum_to_8.

Ella foi levada para fazer uma cesárea, e conta que estava “calma e despreocupada” na ocasião. Cerca de 45 minutos depois de dar entrada no hospital, o caçula foi levado até ela, mas depois, a única coisa de que se lembra é de acordar do coma. Um médico se aproximou dela e disse que todos sentiam muito pelo que tinha acontecido.

A mãe tinha sangrado muito durante a cirurgia, mas o sangue começou a coagular em suas pernas, fazendo com que a equipe não tivesse outra opção a não ser amputá-las. A família de Ella foi chamada ao hospital para se despedir dela, já que o quadro era muito grave, mas ela resistiu, acordou e pôde sair do respirador.


Direitos autorais: reprodução TikTok/@ella_amputee_mum_to_8.

Como estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), chegou a ver muitas pessoas morrendo ao seu lado, e ainda não processava o que tinha acontecido consigo mesmo. A mãe só conseguiu ver o filho novamente quatro dias depois. Foram cerca de três semanas sem ver os filhos, e quando voltou para casa, precisou adaptar uma cama de hospital no primeiro andar.

A mãe explica que nenhuma pessoa escolhe ser amputada, mas que isso a tornou ainda mais forte. Em 2016, ela recebeu próteses para as pernas, o que fez com que retomasse boa parte de seus projetos, incluindo a própria criação dos filhos da forma como fazia antes.


Escola expulsa 3 alunos ao descobrir que a mãe trabalha como modelo de site adulto

Artigo Anterior

Estas são as pessoas mais materialistas do zodíaco. Colocam os bens acima das pessoas!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.