Notícias

Mãe de Marília Mendonça fala sobre o primeiro dia das mães sem a filha: “Preciso ser forte”

Foto: Reprodução
capa marilia

A mãe de Marília Mendonça, Dona Ruth, deu uma entrevista para a revista caras onde falou como será o primeiro Dia das Mães sem a filha. Neste dia 5 de maio, completa 6 meses da morte da cantora, vítima de um acidente de avião

Ela falou sobre o papel como mãe, tanto com a cantora como com o filho, João Gustavo. Ruth também disse sobre a criação do neto, Leo, de 2 anos, filho de Marília Mendonça com o sertanejo, Murilo Huff.

“Foi a maior emoção que eu senti em toda a minha vida. Todas às vezes que eu olhava para o rosto dos meus filhos na hora do parto foi a melhor coisa que eu já senti. E quando eu vi o rosto do Leo também, que deu uma continuidade”, começou Ruth.

A mãe de Marília falou que nunca foi uma figura materna perfeita, “Como mãe talvez eu tenha tido algumas falhas, porque a gente não consegue ser 100% perfeito. Mas eu amei e amo muito… Eu sempre me doei muito nesse papel de mãe”.

leo ruth moreira e marilia mendonca 1 61441

Direitos autorais: Reprodução/Instagram

Ela disse também que não tem como falar da força para continuar, sem falar sobre Deus na vida dela. “Porque é dele que eu busco essa força. É meu primeiro Dia das Mães sem ela, virão lembranças, mas não vai deixar de ser um dia alegre com as mães que eu homenageio, porque tem a vovó do Léo de lá [parte de pai], tem a minha sogra, tem a minha pastora, tem muitas mães guerreiras que eu quero homenagear nesse dia…” continuou Dona Ruth.

“E com as lembranças dela, que sempre foi uma boa filha, uma boa mãe. É meu primeiro Dia das Mães sem ela, mas eu estou aqui na força que eu busco de Deus todos os dias”, falou ela sobre as lembranças que guarda com a filha.

Por fim, ela falou um pouco para aquelas que também perderam os filhos: “Nesses tempos difíceis de pandemia muitas mães perderam filhos, muitos filhos perderam mães e nós perdemos entes queridos […] É muitas mães sem seus filhos nesse Dias das Mães, mas a gente precisa se manter forte porque tudo é Deus, que escolhe que jeito vai ser. A gente pode dar continuidade na vida, trabalhando, ocupando a cabeça, e usar a dor de uma forma para se beneficiar… Ou você abraça a dor e vai adoecer, perder sua paz, ou você se fortalece em Deus e toa a vida em frente”.

0 %