Notícias

Mãe de um dos bebês trocados em hospital não deseja devolver a criança

Mae de um dos bebes trocados em hospital nao deseja devolver a crianca

Juciara Maria da Silva, de 28 anos, que é mãe de um dos bebês que foram trocados em um hospital de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, se emocionou ao falar sobre o momento que irá trocar o bebê que está cuidando desde que saiu da maternidade, há um mês. Bastante emocionada, ela contou que, por ela, não trocaria a criança ao portal G1.

“Vai ser um mês e quantos dias para devolver uma criança que eu cuidei, que amamentei, levei para casa, que meus filhos, minhas irmãs já se apaixonaram. Como que a gente fica nessa história? Dói”, lamentou Juciara.

As crianças nasceram no dia 29 de dezembro do ano passado, no Hospital São Silvestre, em Aparecida de Goiânia. Em nota, o hospital divulgou que acredita que houve uma troca de pulseiras do filho dela com o outro bebê durante o teste do pezinho.

“A situação foi percebida quando da alta médica de uma das mães, sendo que de imediato as duas famílias foram comunicadas e foi solicitado pelo Hospital a realização de teste de DNA. As famílias se mostraram resistentes a todo momento a qualquer exame, o qual levaria quinze dias para ficar pronto (conforme determinação do laboratório responsável pelo exame)”, esclareceu o informativo.

Mae de um dos bebes trocados em hospital nao deseja devolver a crianca

Direitos autorais: Reprodução

Após descobrirem o ocorrido, uma das famílias decidiu fazer um boletim de ocorrências na Polícia Civil. No entanto, quando chegou à delegacia, descobriu que o próprio hospital já havia feito o registro e que o caso já é investigado.

Investigação

Até a noite desta quinta-feira, 27 de janeiro, a delegada Bruna Coelho, responsável pelo caso, não havia tido acesso aos documentos. “Foi registrada uma ocorrência. Nós vamos identificar se houve a identificação correta ou não [dos bebês], se foi doloso ou culposo, toda essa circunstância criminal. Tudo indica que houve pelo erro da identificação”, contou a delegada.

O advogado de Juciara, Eduardo Augusto, contou que, desde que os bebês nasceram, as famílias aguardam aflitas o resultado do exame de DNA, que foi feito pelo próprio hospital, após desconfiar da troca. “As mães estão muito desestabilizadas. Não sabemos como serão as reações das famílias. Já tem toda uma questão de apego e afeto com os bebês”, comentou Eduardo.

0 %