Notícias

Em menos de duas semanas, mãe e três filhas morrem de covid-19

Há três anos, a mãe teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC), por isso as cinco filhas se revezavam para ajudar em seus cuidados e acabaram todas infectadas.



A pandemia da covid-19 ainda está longe de acabar. Os casos novos continuam a aparecer, além das reinfecções e o constante medo das variantes, que por conta do atraso da vacinação, estão se disseminando rapidamente por todos os países.

Nos noticiários, muito do que aparece são as várias mortes, provocando comoção e nos alertando de que os cuidados básicos precisam continuar sendo seguidos à risca.

O uso constante das máscaras, de preferência PFF2 ou N95, a higienização das mãos com sabão ou álcool em gel, e o isolamento social (quando possível), seguem sendo as principais medidas de contenção do vírus.


Em Birigui, no interior de São Paulo, mais um triste caso envolvendo o novo coronavírus aconteceu. A mãe e três filhas foram diagnosticadas com o vírus e acabaram morrendo em menos de duas semanas, de acordo com informações do G1.

A família conta que a matriarca, Maria Ferreira, de 84 anos, morreu na manhã do dia 5. As filhas Mariana, Shirlei e Maria Verônica, de 39, 43, e 53 anos respectivamente, não resistiram às complicações da doença e também faleceram em um intervalo de apenas duas semanas.

Há três anos, Maria Ferreira teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC), e as cinco filhas precisavam se revezar para cuidar da mãe. Como acabaram tendo contato entre si, as seis mulheres foram infectadas, e quatro acabaram não resistindo às complicações da doença. As outras duas irmãs que testaram positivo não precisaram de internação e se recuperam em casa.

O filho de Mariana, Rafael Carlos Inácio da Silva, explica que a família já havia perdido outros entes, como algumas tias, e, por isso, sabe o que todos estão passando neste momento difícil. Para ele, apenas Deus é capaz de confortar, principalmente quando se trata do psicológico dos familiares que ficaram sem as pessoas amadas.


Gabriel Carlos da Silva, irmão de Rafael, defende que a infecção na família, infelizmente, precisa acontecer para que todos “acordem” e se cuidem mais. Mariana, que morreu com apenas 39 anos, mostra que é preciso um cuidado ainda maior na prevenção e nas medidas de segurança indicadas pela OMS e outros grandes órgãos de saúde mundiais.

A família ainda revela que os gastos com medicação, internações, entre outras coisas, acabaram sendo muito altos nos últimos meses, mas que muitas pessoas resolveram ajudar, enviando doações ou orações.

O neto de Maria Ferreira, Rodrigo de Oliveira Carlos, finaliza explicando que, além das perdas e das dores emocionais, a família ainda precisa lidar com todos os custos adicionais. Ele agradece a todos os que estão orando por eles ou tentando ajudar de alguma forma, e pede sabedoria a Deus para que todos aprendam a lidar com esse momento tão delicado.


Depois de inquérito concluído, pai de Henry Borel afirma que a “justiça está começando a ser feita”

Artigo Anterior

“Dá forças para continuar.” Marido de Paulo Gustavo recebe mensagens de apoio e aplausos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.