Notícias

Mãe procura polícia após descobrir que filho de 5 anos foi estuprado por fonoaudiólogo: “Em choque”

Mae procura policia apos descobrir que capa

Segundo a mulher, o filho dela começou o tratamento na clínica quando tinha 2 anos de idade. Diagnosticado com TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade), o menino passou a fazer tratamento como uma fonoaudióloga mulher. Porém o acusado se dizia especialista em crianças com autismo, então o menino passou a fazer sessões com ele em Abril de 2021.

A primeira suspeita da mãe foi em novembro de 2021. Logo após a consulta, o menino saiu da sala em choque, fato que a mulher estranhou. “Ele não olhou na minha cara”, disse a mãe, relatando que o menino entrou no carro segurando o pirulito, sem dizer uma palavra.

A mulher então mandou mensagem para o especialista, perguntando o que tinha acontecido. “Nada, ficamos quietinhos”, teria respondido. Depois, ele mandou outras mensagens e também áudios, desconexos, como se tentasse se explicar. Após a notícia divulgada no dia da prisão do acusado, a mulher ficou em choque. “Ele fez coisas horríveis com meu filho. Estava brincando de molestar”, disse. A mãe ainda conversou com o menino, que deu alguns relatos do que tinha acontecido. Em uma ocasião, o filho teria dito “O tio é menina, saiu leite dele”.

Abalada, a mulher estava vivendo um pesadelo. O filho chegou a questionar o que significava o sinal de ‘zíper’ na boca, dando a entender que o fonoaudiólogo teria feito o gesto para a criança, pedindo o silêncio dela sobre os abusos. Para a mãe, o especialista teria agido “de caso pensado”, já que atendia crianças que não conseguem se comunicar.

A mulher ainda teria dito para o filho que o levaria em outra fono, indicada por uma amiga. “O tio não está passando atividade, o que ele está passando?”, perguntou ao filho que respondeu “É mesmo mamãe, ele fica só chacoalhando o pipi”. Indignada, a mãe ainda relatou a necessidade de câmeras nas salas de atendimento das crianças, para que os pais possam saber o que acontece nas sessões, ou mesmo câmeras para monitoramento interno da própria clínica.

O proprietário da clínica também foi intimado para prestar esclarecimentos. Na última terça-feira, a mãe prestou depoimento e também o filho foi ouvido em depoimento especial na Depca, com acompanhamento de psicólogo. Desde a divulgação da prisão do fonoaudiólogo, pais de ao menos três crianças já procuraram a delegacia. No entanto, as possíveis vítimas não chegaram a relatar casos de abuso. O menino de 5 anos teria sido a segunda vítima relatada de estupro de vulnerável por parte do acusado.

0 %