Família

Mãe que deu à luz com apenas 23 semanas conscientiza: “Quero que mães saibam que não é culpa delas”

Capa Mae que deu a luz com apenas 23 semanas conscientiza Quero que maes saibam que nao e culpa delas
Comente!

A mãe foi diagnosticada com um problema sanguíneo preocupante quando o bebê ainda estava em sua barriga, com pouco tempo de gestação.

Um bebezinho nascido uma semana antes do limite do aborto e pesando menos de meio quilo desafiou as chances de sobreviver — e prosperou!

Jessica Doxey, a mãe do pequeno milagre, de 30 anos, foi diagnosticada com pré-eclâmpsia de condição sanguínea, com risco de vida, e levada às pressas para o hospital com apenas 23 semanas de gravidez.

Uma cesárea de emergência foi realizada para salvar a mãe, que foi avisada de que seu filho provavelmente não sobreviveria. Ele nasceu tão cedo, que Jessica disse que os médicos perguntaram se ela queria que salvasse seu filho.

O pequeno Kaio, de apenas 435g, teve 10 por cento de chance de sobrevivência e passou dois meses e meio em uma incubadora, reproduzindo o ambiente do útero.

2Mae que deu a luz com apenas 23 semanas conscientiza Quero que maes saibam que nao e culpa delas

Reprodução Facebook / Jessica Kaio Doxey

Poucas semanas antes do Natal, a família finalmente recebeu o melhor presente de todos, quando Kaio voltou para casa, com seus quatro meses e meio de vida.

Jessica, uma cientista alimentar de Bakersfield, na Califórnia (EUA), disse que em nenhum momento sua mente estava disposta a desistir do filho!

A cesárea da mãe durou cerca de uma hora, mas Jessica se lembra de ter sentido fortes dores desde as 72 horas que antecederam o parto. Ela disse que permanecia forte por acreditar que seu esforço faria com que Kaio ficasse bem.

Foi preciso o uso de anestesia geral para fazer a operação. Quando acordou, ainda confusa com tudo, explicaram a Jessica que seu filho estava vivo, mas seu quadro não era animador. O bebê pesava menos de 500g e tinha pouca chance de sobreviver. A mãe e o pai foram chamados pelos médicos para conhecer o bebê, acreditavam que aquele poderia ser o primeiro e último momento que a família poderia compartilhar. Jessica, no entanto, não deixou isso abalá-la e pensava sempre na recuperação do filho.

A primeira filha do casal, Stella, também nasceu prematuramente, mas com um pouco mais de tempo, 36 semanas. Jessica disse em entrevista ao portal Mirror que estava certa de que era improvável que acontecesse novamente, mas com 23 semanas ela foi levada às pressas para o hospital por causa de repentina dor de cabeça intensa.

Diagnosticada com pré-eclâmpsia, uma condição de emergência que causa hipertensão e rejeição da gravidez, a mãe ficou cada vez mais doente até o nascimento do bebê. Geralmente isso ocorre no fim da gravidez, mas para Jessica esse não era o caso, já que sua condição piorou rapidamente.

Poucos dias depois, Jessica desenvolveu a síndrome Hellp, uma complicação da gravidez que afeta o sangue e o fígado. Antes da cesariana, os médicos deram-lhe 40% de chance de sobrevivência, no entanto, assim que Kaio nasceu, essa chance imediatamente caiu para apenas 10%.

Jessica teve alta do hospital uma semana depois do parto e foi encarregada de produzir leite materno todos os dias para dar a Kaio a melhor chance de sobrevivência. Ela extraiu leite durante os quatro meses e meio e armazenou-o em um frízer especial em casa, antes de alimentar o filho no hospital.

Com o passar do tempo, Kaio ficou cada vez mais forte e Jessica e seu marido o visitavam o tempo todo, rezando para que ele sobrevivesse. Ele voltou para casa pesando aproximadamente 3,5 kg.

A mãe se recorda que, por semanas, ela acreditou que era culpa sua o fato de o pequeno ter dificuldades e nascer muito antes do tempo regulamentar, que seria alguma malformação em seu corpo. Ela sentiu que tinha falhado em proteger seu filho, por isso faria de tudo para garantir sua melhora. Jessica não teve culpa, é claro, não havia como ela controlar a doença que a atingiu.

Inclusive um dos desejos dessa mãe é aumentar a conscientização sobre esse mal, para que outras mães não passem por esse sentimento de culpa.

O pequeno Kaio contrariou todas as expectativas e viveu, tornando-se um garotinho alegre e feliz com sua família. O pequeno completou 3 anos neste 2021!

3Mae que deu a luz com apenas 23 semanas conscientiza Quero que maes saibam que nao e culpa delas

Reprodução Facebook / Jessica Kaio Doxey

Comente!

Carregador de bagagens cochila e faz viagem internacional em área de cargas

Artigo Anterior

Honrar pai e mãe é a chave para uma vida de milagres

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.