Comportamento

Mãe registra filho como “Lúcifer” e recebe mensagens de ódio: “Não acho que represente o diabo”

Mae que registrou filho como Lucifer desabafa sobre criticas

A escolha da mãe tem desagradado a muitas pessoas nas redes sociais. Entenda!

Para muitos pais, a escolha do nome dos filhos é algo muito sério, que demanda certa quantidade de tempo e pesquisas. Eles querem ter certeza de que estão escolhendo um nome com um significado especial, e pensam nas mais diversas situações para ter certeza de que os filhos não passarão por nenhum constrangimento por conta de como se chamam.

Outros pais, contudo, parecem se preocupar mais com a própria vontade, e escolhem os nomes dos herdeiros sem se preocupar em como a sociedade os enxergará ou mesmo as críticas que receberão.

Esse é o caso de Josie King, uma mãe de 27 anos, de Devon, na Inglaterra. Ela tem sido notícia nos últimos dias pela escolha nada convencional do nome do filho. Uma matéria do site de notícias britânico Daily Mail contou que ela escolheu registrar o filho com o nome de Lúcifer. No entanto, longe de fazer da criança uma forma de homenagem ao anjo decaído, a jovem explicou que sua escolha foi puramente baseada no fato de ela gostar do nome.

King também deixou claro que não houve nenhuma razão religiosa por trás da decisão, até porque ela não tem uma crença definida, e acrescentou que o nome do filho não representa o diabo.
A inglesa, que tem outro filho, contou que Lúcifer é uma criança milagrosa, porque antes de seu nascimento, ela já havia perdido dez bebês. Ela ainda pontuou que viu num livro de nomes de bebês que “Lúcifer” significa “portador da luz” em latim, e que se agradou bastante desse significado.

A sua escolha virou assunto depois que ela ligou para um programa de televisão local para participar de uma discussão sobre nomes únicos de bebês. Segundo a mãe, a reação do público não foi nada agradável. Ela revelou que foi chamada de ateia, mesmo nem sabendo o significado dessa palavra, e que tem recebido uma enorme quantidade de comentários de ódio desde que apareceu na TV, bem como mensagens diretas e ininterruptas de pessoas implorando para ela repensar sobre o nome da criança.

Josie disse que, quando escolheu o nome do filho, sabia que muitas pessoas não iam gostar, mas que essa é uma escolha que não cabe a elas. Ela tem-se manifestado contra todos que a criticam por conta do nome escolhido para o filho. Segundo a inglesa, é muito ruim que um bebê de 7 meses seja criticado e intimidado por causa de um nome, e o problema está na sociedade, não nas escolhas pessoais de cada um.

Bastante segura com a própria escolha, ela salientou que a intromissão das pessoas é o verdadeiro problema ao mencionar que muitos de seus amigos acabaram mudando os nomes dos próprios filhos por conta da pressão da sociedade.

Josie, que afirmou que chamaria o bebê de “Nárnia”, se fosse menina, foi criticada também por alguns familiares, mas nem mesmo isso a fez repensar na questão, porque não enxerga o nome “Lúcifer” do ponto de vista religioso.

Apesar da quantidade de críticas às quais vem sendo submetida, a jovem também tem encontrado apoio em pessoas que a entendem e respeitam. Josie contou que já recebeu mensagens de cerca de 15 pessoas contando que escolheram o mesmo nome para os seus filhos e agradeceu a bondade daqueles que estão ao seu lado.

Embora, em última análise, essa seja uma decisão estritamente pessoal, uma vez que a história virou notícia, os usuários das redes sociais têm manifestado sua opinião sobre o caso. Algumas pessoas acusam a mãe de não ter noção e condenar o filho a uma vida de bullying, enquanto outras parecem se divertir com o caso e até mesmo pedir que deixem Josie em paz.