Comportamento

Mãe reencontra filha morta através da realidade virtual. Simplesmente lindo!

Capa Mae reencontra filha morta atraves da realidade virtual simplesmente lindo
Comente!

O reencontro das duas foi possibilitado pela tecnologia. A mãe se emocionou ao ver mais uma vez sua filha!

Um dos objetivos dos avanços da ciência certamente é tentar ajudar os vivos a lidar com a dor da saudade daqueles que se foram.

Um programa de televisão coreano usou a tecnologia para reunir mãe e a filha falecida, usando luvas sensíveis ao toque e áudio.

De acordo com informações do portal de notícias *Daily Mail, o programa chamado “Encontrando você” contava a história de uma mãe que perdeu sua filha Nayeon, de 7 anos, que faleceu de uma doença rara em 2016.

A mãe conseguia tocar, brincar e conversar com a criança, e a menina ainda garantiu que não estava mais com dor.

No entanto, embora a mãe pareça achar a experiência benéfica, os especialistas alertam sobre a ética de realizar um experimento psicológico radical na TV com o propósito de entretenimento.

Jang Ji-sung, mãe de Nayeon, colocou o fone de ouvido de realidade virtual e foi transportada para um jardim onde sua filha estava sorrindo em um vestido roxo brilhante.

2 Mae reencontra filha morta atraves da realidade virtual simplesmente lindo

Direitos autorais: Reprodução YouTube / MBC

No vídeo, é possível perceber a emoção da mãe ao reencontrar sua filha. Jang acaricia o rosto da réplica da menina e lhe diz o quanto sente sua falta.

A empresa coreana Munhwa Broadcasting Corporation, ou MBC, trabalhou no design do rosto, corpo e voz de Nayeon para ser o mais preciso possível. A menina de olhos brilhantes e cabelos negros perguntou à mãe onde ela estivera e se pensava nela. Jang então respondeu que pensava na filha o tempo todo. A menina digital disse ainda que sentia muito a falta da mãe.

Jang hesitou a princípio em tocar na criança digital, até que Nayeon insistiu que ela segurasse sua mão.

3 Mae reencontra filha morta atraves da realidade virtual simplesmente lindo

Direitos autorais: Reprodução YouTube / MBC

Jang, entre lágrimas, segurou a mão da filha.

O pai, o irmão e a irmã de Nayeon, que assistiam ao evento da plateia, também estavam chorando.

A réplica da menina corre até a mãe e lhe entrega uma flor dizendo que já não sofria mais.

No fim da experiência surreal, Nayeon deitou-se para dormir, dizendo que estava cansada, e sua mãe lhe disse adeus mais uma vez.

4 Mae reencontra filha morta atraves da realidade virtual simplesmente lindo

Direitos autorais: Reprodução YouTube / MBC

Jang, que usa um colar com as cinzas de Nayeon como amuleto, disse que fez parte do experimento para ajudar outras pessoas que perderam um irmão, pai ou filho, como ela.

No entanto, o Dr. Blay Whitby, filósofo e especialista em ética em tecnologia da Universidade de Sussex (Inglaterra), expressou algumas ressalvas sobre a iniciativa, disse que apresentava questões éticas preocupantes.

A ciência ainda não sabe avaliar os efeitos psicológicos de nos reunir de alguma maneira com alguém que já morreu, o estudioso enfatizou. Whitby disse que muitos psiquiatras considerariam tal ação potencialmente prejudicial à saúde, mas até que isso se comprove, várias pessoas podem ser exploradas em um momento tão delicado como o luto.

A Dra. Sarah Jones, vice-reitora de Computação, Engenharia e Mídia da Universidade de Montfort, em Leicester (Reino Unido), acrescentou que o experimento levanta outras questões éticas. Ela diz só porque é possível usar a tecnologia para trazer pessoas de volta à vida virtualmente para encontrar aqueles que estão sofrendo, isso não significa que devemos fazer isso. Uma das suas principais preocupações é o direito do falecido, uma vez que não temos como saber se gostariam de ser trazidos à vida novamente. Quanto ao teor das conversas das réplicas digitais com os vivos, não há como garantir que seriam exatamente o que aquelas pessoas falariam.

A cientista reconhece que essas experiências podem ajudar pessoas enlutadas, mas também levantam uma enorme preocupação ética, pois podem manipular as pessoas com base nos seus sentimentos.

Wendy Grossman, especialista sobre computadores, liberdade e privacidade, também ponderou sobre a ética de usar a RV para reunir mortos e vivos. Para ela, a história lhe parece potencialmente fraudulenta e com um grande potencial prejudicial para a mente das pessoas enlutadas.

Comente!

Babá mente para crianças dizendo ser a verdadeira mãe delas. Seus pais seriam “apenas os provedores”

Artigo Anterior

Cães de rua salvam recém-nascida abandonada pela mãe

Próximo artigo