Comportamento

Mãe relatou que a filha de 7 anos perdeu 8kg em 6 meses por conta de bullying na escola

O bullying por causa do peso levou a criança a desenvolver um distúrbio alimentar.



A vida escolar pode ser bastante complicada para muitas crianças. Quando não conseguem se encaixar no universo daqueles ao seu redor, podem sofrer com diversos tipos de brincadeiras e provocações altamente prejudiciais à sua saúde física, mental e emocional.

Uma mãe australiana, num relato tocante ao Kidspot, portal que oferece conteúdo a pais e mães, conta sobre os efeitos dessa prática lesiva na filha de apenas 7 anos.

Segundo a mulher, aos 4 anos, a menina estava muito animada para começar a frequentar a escola e que era muito feliz e sociável. No entanto, apenas duas semanas depois do início das aulas, as coisas começaram a mudar drasticamente, especialmente por um episódio de bullying.


Enquanto levava a filha até a sala de aula, a menina precisou ir ao banheiro, onde duas meninas a encurralaram, dizendo que não poderia entrar porque tinha “uma barriga muito grande” e comia muito.

A mãe protegeu a filha e colocou um fim na provocação, mas a menina lhe contou que aquela não era a primeira vez que aquilo acontecia. A criança pesava 19,8kg e tinha passado por um check-up médico pouco antes do início das aulas. Os pais levaram o fato ao conhecimento da escola e ao Departamento de Educação do estado de Queensland, mas disseram que isso não deu em nada.

Enquanto uma solução não era tomada, a menina, antes feliz e animada, foi mudando cada vez mais. Ela não tinha mais hábitos saudáveis de alimentação e ficava sem se alimentar por muito tempo, escondendo as comidas que deveria levar para a escola em seus bolsos e nos armários da casa.  Ela também deixa de tomar água.

Com apenas 7 anos, a criança já está enfrentando um distúrbio alimentar, e perdeu 8kg em menos de seis meses, passando de pouco menos de 20kg para 12kg. De acordo com a mãe, a menina também sempre diz que é gorda e precisa de roupas maiores, quando na verdade é possível ver os seus ossos.


Já chegou a perder 40 dias de aula por causa do estresse e da ansiedade. O relacionamento familiar também foi prejudicado, já que a criança se afastou de todos. Apesar de tão nova, ela foi diagnosticada com ansiedade severa e toma medicamentos.

Mesmo com todas essas consequências, infelizmente, a agressão não cessou. Em outro episódio, a estudante foi alvo de bullying, desta vez por ter pelos escuros, motivo pelo qual a chamaram de “gorila e pé-grande”. Nesse caso, conta a mãe, ela chegou a raspar as pernas da filha. A mulher está na luta por uma liberação do Departamento de Educação para que possa matricular a filha em outra instituição de ensino.

Produtor vai contra atriz trans ter papel principal em clássico do cinema: “Forçar algo não natural”

Artigo Anterior

Estes 3 signos vivem cuidando da vida alheia. Eles são os mais intrometidos!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.