Comportamento

Mãe se revolta porque funcionária da escola teria mandado sua filha comer sanduíche tirado do lixo

capafacebook mae se revolta porque funcionaria da escola teria mandando sua filha comer sanduiche tirado do

A mãe da criança se enfureceu com a atitude da funcionária e exigiu um posicionamento da escola. Entenda os dois lados!

De todas as situações desagradáveis que uma criança pode viver na escola, uma de Birmingham, na Inglaterra, pode ter passado por uma das piores, de acordo com sua mãe.

A mãe de Cianna-Rae, de 8 anos, contou em entrevista ao Birmingham Live que a menina teria sido instruída por uma funcionária do local  “a comer comida que ela jogou em uma lixeira”. Seteasha, que tem apenas Cianna-Rae, revoltou-se profundamente com a situação, e agora quer tirar a filha da escola primária.

Conforme contado pela mulher, a menina resolveu jogar fora o sanduíche de queijo porque achou que o pão estava duro e a comida sem gosto, no entanto, sua atitude não agradou à funcionária.

Seteasha ainda disse que a filha não estava sozinha. Duas de suas amigas tiveram a mesma impressão dos alimentos, e igualmente foram instruídas a comer. No entanto, as meninas não chegaram a comer o lanche, descartando-os assim que a mulher não estava mais cuidando delas.

A mãe contou que a atitude da funcionária a fez sentir-se enojada e questionou por que ela mandou as crianças comerem algo que estava no lixo, explicando que “nem mesmo um cachorro é tratado assim”.

Para ela, ainda que a filha não tenha comido o lanche, como ordenou a funcionária, o que importa foi a sua atitude de pedir isso para as crianças.

A escola primária, que funciona sob a administração da Arthur Terry Learning Partnership, explicou que todos os sanduíches oferecidos pela escola aos alunos são embalados em plástico filme e depois colocados em sacos de papel, o que garantiria sua segurança.

Ainda foi explicado que a lixeira apenas é usada para descartar os sacos de papel, não ​​para colocar restos de comida. Entretanto, sua justificativa não foi bem aceita por Seteasha, que disse que no fim das contas ainda se tratava de uma lixeira, e havia bactérias do lado de fora da embalagem.

Ela chegou a procurar a escola para falar sobre o ocorrido, mas segundo disse em entrevista, não recebeu nenhum pedido de desculpas, apenas a justificativa sobre a embalagem.

Apesar de sua abertura em resolver a situação, o diretor, segundo Seteasha, não levou a situação a sério, e isso acendeu na mãe um alerta, já que contou que teve problemas anteriores com a escola.

Considerando que a escola já não era mais um bom lugar para a filha, ela decidiu levar a menina para outra instituição e ainda mobilizou outros pais e fazerem o mesmo.

O que diz a escola

Com a repercussão do caso, a escola se manifestou por meio do seu porta-voz, explicando que a escola investiu tempo para investigar o caso reportado pela mãe. Segundo o representante, a instituição tentou entender as circunstâncias e definir o que podia ser aprendido em termos de melhorar as opções e a experiência do almoço das crianças. Também firmou o compromisso de manter os pais sempre informados.

Sobre a atitude da funcionária, o representante da escola justificou que ela ficou preocupada porque as crianças não haviam comido o lanche, que ainda estava fechado. Ainda reforçou que os sanduíches de queijo estavam lacrados individualmente.

“A escola é obrigada a embrulhar todos os sanduíches assim por conta de uma lei que garante que os alimentos não sejam contaminados. Isso significa que os sanduíches das crianças não foram contaminados por outros alimentos.”

O porta-voz da escola finalizou dizendo acreditar que a raiz do problema esteja na escolha dos sanduíches oferecidos aos alunos.

0 %