4min. de leitura

Mamma mia! Feliz Dia das Mães!

Dedico este texto a todas as mães, à minha em especial e também àquela a quem o (a) leitor (a) deste texto dedicar!

FELIZ DIA DAS MÃES!


Especialmente, dedico este texto à minha mãe, alma devota a Deus, pessoa encantadora, altruísta, com sangue batalhador, mente firme e fugaz, espírito elevado  que tanto lutou por nós, antes mesmo de ter conhecimento da nossa existência e, neste momento, nós (eu e meu irmão) a agradecemos por cada grão minúsculo de amor que nos foi cedido incondicional e incessantemente; a cada gota de oceano de entrega que nos transbordou em amor e segurança; a cada ensinamento que nos fez crescer e aprender a ser humanos, a nos respeitar, a respeitar ao nosso semelhante, inclusive àquele que mais necessita de nossa presença, de nossa caridade ou até mesmo de nossa ausência no momento certo!

Dedico, também, este texto, à Mãe Natureza. Por que não?

Dedico, à Mãe das Mães; à Mãe do Salvador; às mães biológicas, mas também àquelas que não são biológicas, mas mães de alma; às mães que não queriam ser mães, mas que se vestiram nessa condição, ao se depararem com o primeiro choro e sorriso do fruto do seu ventre!

Dedico este texto, ainda, às mães que deixaram este planeta; às mães que deixaram as suas mães; às mães que deixaram os seus filhos; às mães que tentam ser mães; às mães que nasceram para ser mães; às mães que perderam os seus filhos, ou pela violência, ou pelo desencontro da vida ou pela fatalidade, enfim, dedico este texto, às mães que sofrem, que se alegram, que choram, que sorriem, que falam em demasia ou que permanecem em silêncio aterrador; às mães que sabem expressar os seus sentimentos e àquelas que se recolhem por não terem forças para emanar o que há nas entranhas das suas almas; às mães com deficiências, ora supridas pela força do amor; às mães que têm paciência divina com seus doces frutos mais do que especiais!


Dedico este texto, finalmente, às mães que se perdem, que se irritam, que sofrem, que ainda não aprenderam a ser mães; às mães que ensinam, mas também àquelas que aprendem, que têm paciência, impaciência, mas, acima de tudo, que possuem algo em comum e em abundância, algo tão grandioso em dimensões comparáveis ao Universo Infinito: o amor incondicional!

Mãe, nós a amamos!

Mães, seus filhos a amam!

Mãe, receba este texto como a flor que mais admira e plante-a na alma do seu coração, pela eternidade!


Mamma mia – Feliz Dia das Mães!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/martinan





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.