Pais e Filhos

Maneiras de destruir a autoestima de seu filho:

maneiras de destruir

A autoestima é um dos sentimentos mais valiosos para o ser humano.



É através dela que podemos ser positivos sobre nós mesmos, por dentro e por fora, e assim nos configurarmos para um bom desenvolvimento no ambiente social, e construirmos um senso saudável de amor-próprio e autoproteção.

No momento em que nos tornamos pais, descobrimos o que é amor de verdade. Fazemos de tudo para que nossos filhos cresçam com segurança e tenham a melhor vida possível. Para isso, nós nos asseguramos de garantir a eles tudo o que nos faltou, assim como as ferramentas necessárias para uma vida feliz e completa.

No entanto, existem pais que cruzam os limites e ficam mais presentes nas vidas dos filhos do que o ideal. Dessa maneira, acabam causando o efeito oposto do que realmente desejam representar para eles.


As palavras que escolhemos usar são fundamentais para definir qual tipo de seres humanos nossos filhos serão e, muitas vezes, causamos a eles tristeza e baixa autoestima através de nosso vocabulário.

É claro que cometer erros é normal, porque não nascemos com a habilidade e maturidade para criar outro ser humano, e essa é, muitas vezes, uma tarefa que aprendemos na prática. Por isso, no decorrer do texto daremos dicas de atitudes para evitar e incorporar em sua vida, para cuidar da autoestima de seu filho e ajudar a torná-lo um ser humano forte e feliz.

Os pais têm o papel de amar, cuidar, orientar, motivar, apoiar e educar seus filhos. Nós chegamos a esse mundo “despreparados”, portanto cabe aos nossos progenitores guiar-nos em nosso caminho e ensinar-nos a como realmente viver.

Dentro desse processo, a autoestima é fundamental para definir quem somos.


Com uma criação que estimula o desenvolvimento de uma autoestima saudável e uma boa saúde mental, as crianças têm mais capacidade de desenvolver atitudes positivas e criar relacionamentos positivos ao seu redor.

É importante que as crianças aprendam que errar não é algo de todo negativo. Através das falhas, nós nos tornamos pessoas melhores, porque aprendemos o que devemos e não devemos fazer para manifestar coisas boas ao nosso redor.                     

O resultado da escassez de erros na vida

Se os pais não permitem que as crianças cometam erros para protegê-las de vivenciarem experiências ruins, elas ficarão estagnadas na vida, nunca aprenderão coisas novas e, consequentemente, tornar-se-ão totalmente dependentes daqueles ao seu redor. Também não sentirão muita admiração por si mesmas, porque ao se compararem com outras pessoas, verão que suas habilidades são inferiores. Ao mesmo tempo, não terão a atitude necessária para mudar de vida, porque a mudança exige erros, coisas que serão consideradas ruins. Esse padrão de comportamento mina a autoestima da vida de uma pessoa.


Portanto, é essencial que os pais permitam que os filhos cometam erros e aprendam com eles, que identifiquem quando estiverem errados e se desculpem, admitindo a culpa, e que proporcionem a oportunidade de aprenderem com as próprias falhas.

Quando os pais ensinam seus filhos a agirem com sabedoria e boas intenções, permitem que consigam enxergar o valor dos erros, para a construção da melhor versão de si mesmos, com uma autoestima exemplar.

_____________

Direitos autorais da imagem de capa: altanaka / 123RF Banco de Imagens


Ser especial: realidade, ficção ou nada mais que a obrigação?

Artigo Anterior

Para amar uma pessoa que sofre de depressão, você não precisa “consertá-la”!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.