Marido de 91 anos lê diário para sua mulher com amnésia para manter vivo o amor

Parece que o amor tem o poder de revelar um novo lado de nós mesmos, um lado que nem sabíamos que poderia existir, e que nos torna mais felizes do que pensávamos ser possível!

O amor é realmente um sentimento incrível. Ele nos transforma dia após dia, cria mais empatia, compreensão, cuidado e carinho dentro de nós, além de nos transformar a cada dia para nos tornarmos nossa melhor versão, tanto para nós mesmos, quanto para a pessoa que temos ao nosso lado.

Podemos nos surpreender com o quanto melhoramos quando começamos a amar alguém e viver um relacionamento positivo com essa pessoa. Parece que o amor tem o poder de revelar um novo lado de nós mesmos, um lado que nem sabíamos que poderia existir, e que nos torna mais felizes do que pensávamos ser possível!

Quando amamos de verdade, deixarmos ir todo o egoísmo e nos mostramos sempre presentes para a outra pessoa, dispostos a ajudá-la em tudo o que for necessário. Nos momentos bons e ruins, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença.

A história que contamos hoje fala sobre um casal muito especial, e um marido que prova com suas atitudes que o amor verdadeiro nunca descansa.

Jack Potter é um senhor inglês de 91 anos que, mesmo com todas as dificuldades trazidas pela idade, se esforça para que o amor que o une à sua mulher, Phyllis, há mais de 70 anos, nunca suma da mente e do coração da amada.

Phyllis sofre de demência e falta de memória, o que compromete seriamente todas as lembranças não só do amor dos dois, mas também de toda a sua vida, mas seu companheiro não está disposto a permitir que ela enfrente esse momento sozinha. Todos os dias Jack vai visitar sua amada na casa de repouso em que ela vive, que fica na cidade de Rochester, Inglaterra, e lê para ela o diário que guarda desde o dia em que se conheceram.

Jack, apesar de já ser velhinho, afirmou o ao jornal Daily Mail Online que lembra exatamente do momento em que os dois se viram pela primeira vez, em um baile no ano de 1941, inclusive tem uma mensagem em seu diário sobre esse encontro:

“Foi uma noite muito agradável. Dancei com uma garota muito legal. Espero encontrá-la novamente”. Dois anos depois eles se casaram.

Além do primeiro encontrou, muitos outros momentos do casal estão registrados no diário, como o casamento, as férias, as fotografias e mais muitos outros. Jack lê todos os dias para Phyllis, na esperança de que ela nunca se esqueça do amor dos dois e do quanto sempre foram felizes juntos.

Phyllis parece compreender tudo, porque mesmo com toda a debilidade da idade e da doença, ela se esforça para abraçar seu grande companheiro.

Veja algumas fotos do casal abaixo:

Que coisa mais linda! Esses dois são a prova de que o amor existe e de que, quando preservado, não há limitações de saúde que possa fazê-lo desaparecer.

Uma grande história, que deve ser compartilhada!

Se você se sentiu tocado pelo amor de Jack por sua esposa, compartilhe esse texto com seus amigos e ajude a espalhar bons exemplos pelo mundo!


Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: Casey Gutteridge e Andy Payton/SWNS



Deixe seu comentário