Notícias

Mario Frias e Sérgio Camargo fazem cruzada nas redes contra Taís Araujo

Foto: Instagram
tais araujo

Mario Frias e Sérgio Camargo puxaram uma cruzada bolsonarista nas redes sociais contra a atriz Taís Araujo e seu marido, Lázaro Ramos, por ocasião do lançamento do longa “Medida Provisória”, com estreia prevista para quinta-feira (14). A atriz é a protagonista do filme, que marca a estreia de Ramos como diretor de ficção.

O ex-secretário especial da Cultura afirmou que a atriz vive numa realidade paralela, e o ex-presidente da Fundação Cultural Palmares chamou Araujo e Ramos de “artistas mimizentos, que nada fazem pelo país”. Camargo também insinuou que o casal não trabalha, ao pedir “carteira de trabalho neles!”.

Os comentários dos ex-servidores, que se desligaram recentemente do governo para concorrerem nas eleições de outubro a deputado federal, foram feitos no Twitter, neste domingo (10), e vieram em resposta a observações de Araujo sobre o governo Bolsonaro.

“A mudança está nas nossas mãos. Não foram quatro anos difíceis. Foram infernais, foram um pesadelo. Desespero, aumento da miséria. A gente andou para trás a galope. Não dá para continuar. O poder está nas mãos do povo”, disse a atriz, numa entrevista recente sobre o filme.

“Medida Provisória” acompanha os esforços de um casal que quer se reencontrar depois de o governo editar uma medida que obriga todos os negros do Brasil a se mudarem para a África.

Nesta segunda (11), depois de cinco posts com ofensas ou ironias à atriz e ao diretor, Camargo disse que o filme é “lacração criminosa” e que deve ser boicotado caso entre em circuito comercial.

Eduardo Bolsonaro também entrou no barco, ironizando os atores. Ele republicou um post no qual se vê Araujo e Ramos sorrindo numa lancha e o trecho da fala da atriz onde ela diz que foram anos infernais sublinhado. Num segundo post, ele chamou os atores de de sequestradores, insinuando que eles roubaram R$ 2,7 milhões de dinheiro público para fazer o filme.

O longa captou ao todo R$ 4,2 milhões em verbas públicas, de acordo com informações do site da Ancine, a Agência Nacional do Cinema. Deste montante, R$ 2,7 milhões vieram do Fundo Setorial do Audiovisual.

Nem a atriz nem o diretor responderam publicamente às críticas. A assessoria de “Medida Provisória” afirma que o longa gerou mais de 850 empregos diretos e indiretos da concepção ao lançamento e que “qualquer ataque ao filme apenas representa o dirigismo cultural que, neste momento, quer determinar quais filmes podem ser realizados no país.”

Lázaro Ramos e Taís Araújo detonam governo Bolsonaro

Lázaro Ramos e Taís Araújo estão prestes a estrear o filme “Medida Provisória” nos cinemas – ele como diretor e ela como atriz protagonista. A produção faz uma crítica a um Brasil distópico sob um governo autoritário e racista. Com isso, os artistas também não poderiam deixar de se posicionar sobre a situação política atual em entrevista nesta quinta-feira (7).

“A mudança está nas nossas mãos. Não foram quatro anos difíceis. Foram infernais, foram um pesadelo. Desespero, aumento da miséria. A gente andou para trás a galope. Não dá para continuar. O poder está nas mãos do povo”, esbravejou Taís em menção às eleições que ocorrem no próximo dia 2 de outubro.

Por sua vez, Lázaro concordou: “Espero que a gente tenha consciência e faça uma escolha diferente. Na última eleição, tinham 11 ou 13 candidatos e o Brasil escolheu isso. O Brasil experimentou um gosto muito amargo, um gosto perverso”.

O diretor ressaltou que não basta apenas reclamar, mas é preciso agir em favor das mudanças no país. “Estou fazendo, contribuindo, levando discussões. Não sei se dá para ficar só na esperança, precisamos agir. Falam que o Brasil é o país do futuro. Chega. O Brasil tem que ser o país do agora. A gente precisa fazer uma escolha diferente senão só piorará”, pediu ele.

Outro ponto trazido à tona por Taís foi a luta das mulheres negras frente uma sociedade machista e racista. “É cansativo, mas é importante. Eu como mulher negra, mãe de duas crianças negras, não posso deixar que o cansaço me abata e que o medo me paralise. Essa é minha pauta. Vai me cansar, mas eu vou continuar”, concluiu.

filme de lazaro ramos medida provisoria enfrenta dificuldades com a ancine

Direitos autorais: Divulgação

“Medida Provisória” tem estreia prevista para o próximo dia 14 de abril, dois anos após o fim das gravações. No elenco, constam outros nomes de peso, como Seu Jorge, Alfred Enoch, Adriana Esteves e Emicida.

Por trás das câmeras

Depois de “Medida Provisória”, rodado em 2019, Lázaro já dirigiu outro filme para o Prime Video e vive intensamente sua nova fase da carreira, oficialmente fora da Globo. “No começo, foi apavorante”, admite. “Eu não queria dirigir, Taís [Araújo] que me convenceu. Depois, virou algo de muito prazer. Entendi que tinha como contribuir. Estou caminhando para uma carreira dupla”, festeja.

“Não estou aqui só para ser mais um. Quero fazer a diferença. Espero que as pessoas que assistam a esse filme se sensibilizem, entendam que não é uma luta só de uma parte da sociedade. Todo mundo pode fazer sua parte“, conclui.

0 %