Relacionamentos

Me perdendo em uma paixão avassaladora

Paixão, um sentimento estrondoso, que mexe com nossos sentidos e nosso equilíbrio, que faz a gente levitar quando está passando por ele, mas faz a gente se esborrachar no chão quando acaba. É como uma droga, te trás o prazer momentâneo, aquela sensação de estar nas nuvens, de amar e ser amado, de sentir que naquele momento só você interessa àquela pessoa e aquela pessoa é a única que te interessa. Os detalhes marcam, o calor do corpo, o toque das mãos no peito, o arrepio intenso do beijo quente. Dava para ficar horas vivendo aquilo, é viciante, a vida lá fora já não interessa pois só aquele instante, aquela pessoa, aquela sensação é que te transformam no ser mais imbatível, invencível, forte e poderoso.



Sim, no fundo ela sabia que seria ele o dono dos seus pensamentos logo depois daquela primeira risada. E ele não tinha noção do quanto aquela aventura podia marcar suas lembranças. É claro, se tornaram cúmplices da noite para o dia. Um abraço demorado, trocas de carinho e palavras de demonstração do quanto se quer bem. Gosto tanto dos seus olhos, gosto desse seu jeito de rir ironicamente, gosto do seu nome, adoro te chamar de Anne. Gosto do seu beijo, poderia te beijar durante horas. Por que é tão gostoso ficar com você? E até um eu te odeio que tem o apelo subliminar de um “eu odeio estar gostando de você”.

Mas a paixão é assim, é intensa e acaba acabando logo. É claro, pode acabar em amor, pode acabar em nada, pode acabar em conflitos e rompimento, pode acabar em casamento. Ou ainda, acabar num beijo rápido antes que o próximo metro chegue. E uma olhadinha de volta antes de embarcar, só para saber se o outro também está olhando.

Eu estava no meu eixo, estava bem encaixada em mim, na minha autodescoberta e nos meus planos de viajar. Mas veio a paixão, para me sacudir, para quebrar minhas pernas, para me mostrar fora do controle da vida. Confesso que me deixei levar, assumo que larguei as rédeas da minha vida e mergulhei sem receios no fundo desse oceano deixando para trás qualquer racionalidade. Nós tínhamos uma semana apenas antes dele viajar, afinal que mal tinham 7 dias. Então vamos nos perder mesmo.


Pois, quando a paixão passou, voltei para a minha vida meio perdida. Só pensava, e agora? Me dediquei tanto à paixão que esqueci de mim. Se valeu? Claro! Mas vamos tratar de esquecer um pouco o frenesi e recuperar o equilíbrio, afinal eu to uma bagunça. Assim vou poder respirar aliviada e pensar com calma que rumo dar para todas essas sensações fortes. Viaje ai meu amor que eu viajo aqui, quem sabe como será o reencontro depois disso tudo.

Fonte: Escrito por ANNELISE MEDEIROS via Me Conhecendo Melhor


Já que te gosto, toma aqui a chavinha da minha vida

Artigo Anterior

Você cria tudo o que lhe acontece

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.