Pesquisas

Estudo diz que anticorpo inédito pode ser capaz de prevenir a covid-19!

estudo diz que anticorpo inedito pode ser capaz de prevenir a covid 19

O estudo foi realizado pela farmacêutica Eli Lilly em parceria com o NIH, nos EUA. Saiba mais!



Uma grande notícia! Agora temos uma nova maneira de prevenir a covid-19 aprovada pela ciência.

Segundo apurado pela revista Veja, a farmacêutica Eli Lilly anunciou, na última quinta-feira (21), que o que o seu anticorpo monoclonal bamlanivimabe teve resultados positivos na prevenção de covid-19 usados por residentes e funcionários de lares de idosos e locais de cuidados de longa duração, nos Estados Unidos.

A pesquisa foi realizada em parceria com o Instituto Nacional de Saúde (NIH) do país. Por meses, os pesquisadores analisaram os efeitos do anticorpo em 965 voluntários, que viviam ou trabalhavam nas casas de repouso.


Os participantes foram divididos em dois grupos, um deles recebeu o medicamento, por via intravenosa, e o outro recebeu o placebo. Depois das análises, os pesquisadores concluíram que as pessoas que receberam o medicamento eram até 57% menos propensas a contrair a doença em comparação com aquelas que receberam o placebo.

Entre os idosos que vivem nas casas de repouso, o risco de contágio foi 80% menor. Quatro residentes, que tomaram o placebo, vieram a óbito por conta da doença.

Segundo a revista Exame, o anticorpo bamlanivimabe tem como objetivo neutralizar a proteína spike da covid-19, que permite ao vírus entrar na célula humana ao se acoplar ao receptor da enzima conversora da angiotensina 2, ou ECA2.

A medicação faz parte da categoria anticorpos monoclonais, ou mAb, criados em laboratório, mas que imitam a função dos originais, produzidos pelo sistema imunológico. As pessoas que tomarão a medicação precisam obedecer a algumas condições:


  • Pesar mais de 40 kg e ter mais de 12 anos.
  • Ter testado positivo para covid-19.
  • Ter apresentado os sintomas até 10 dias antes.

  • Não estar em estado grave, que necessite de oxigenoterapia ou hospitalização.
  • Apresentar alto risco de progressão para quadros mais graves da doença ou hospitalização.

Esse estudo é bastante significativo, pois é o primeiro a confirmar a eficácia do bamlanivimabe na prevenção da doença em pessoas bastante vulneráveis.


Em novembro de 2020, a agência reguladora de medicamentos nos EUA, FDA, havia aprovado o uso emergencial do bamlanivimabe para o tratamento de pessoas a partir de 12 anos, que apresentavam sintomas leves a moderados da doença.

Os resultados ainda não foram publicados em revistas científicas, mas isso deverá acontecer em breve. Além disso, a Eli Lilly deseja solicitar a autorização do uso do medicamento em instituições de longa permanência, já que os resultados provaram ser positivos nesses lugares.

Uma grande novidade!

Compartilhe o texto com os amigos nas redes sociais!


 

Direitos autorais da imagem de capa: Depositphotos.

Enfermeira com carreira de 50 anos, que recusou aposentadoria, morre de covid-19: “Vivia para isso”

Artigo Anterior

“Eu sinto falta da sua alegria, minha mãe.” Beth Goulart grava vídeo sobre saudade de Nicette Bruno

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.