Notícias

Bruno Covas faz drenagem de líquido nos pulmões e médico prevê alta

Prefeito de São Paulo está internado desde 15 de abril, ao ser diagnosticado com metástase nos ossos e fígado.



Bruno Covas está realizando novo tratamento para câncer, mas sua alta foi adiada por causa de acúmulo de líquido tanto no abdome quanto nas pleuras. De acordo com as notícias veiculadas pelo G1, o médico oncologista que está à frente do caso do prefeito de SP disse que drenos foram colocados e surtiu efeito.

Com a drenagem sendo eficaz, o político pode ter alta a qualquer momento. Semana passada, Covas teve uma piora em seu quadro clinico por causa da infiltração desse líquido em sua cavidade torácica. Além dos drenos, suplementação nutricional foi iniciada. Esse câncer está localizado na região da cárdia, entre o estômago e esôfago, mas as metástases já atingiram outras partes do corpo, como os ossos e fígado.

Segundo o boletim médico de Tulio Pfiffer, a drenagem pleural foi efetiva, fazendo com que o líquido diminuísse bastante, causando melhora clínica que permite uma programação de alta para os próximos dias. Se tudo der certo, amanhã o prefeito já pode sair do hospital, afirmou o oncologista.


Nos últimos dias de internação, Bruno continuou trabalhando do hospital, recebendo apenas visita de pessoa próximas. Caso sua alta seja confirmada, os médicos o orientaram de que ele mantenha suas atividades pessoas e profissionais, mas sem agendas públicas.

Bruno se alimenta via oral, mas seguirá com suplementação venosa durante a noite. A previsão é de iniciar um novo ciclo de quimioterapia e imunoterapia daqui a algumas semanas.

O primeiro diagnóstico que o prefeito de São Paulo recebeu foi em 2019, onde foi internado pela primeira vez sentindo fores dores de estômago, infecção que evoluiu para uma trombose venosa na perna direita. Os coágulos subiram para o pulmão e causou uma embolia.

Foi durante a realização dos exames de controle que a equipe médica descobriu o câncer na região entre o esôfago e estômago, já com metástase no fígado e linfonodos. Bruno Covas passou por oito sessões de quimioterapia e os tumores regrediram, mas não o suficiente para combater o câncer. Outro tratamento com imunoterapia foi iniciado.


Depois de ser reeleito nas eleições municipais em 2021, Covas anunciou uma nova fase de tratamento, sendo necessário tirar uma licença médica de 10 dias, submetido a radioterapia. Foram previstas 24 sessões complementares.

Adolescente rouba carro dos pais, perturba vizinhos, e eles o punem doando todas as suas coisas!

Artigo Anterior

Homem assassina a própria filha de 17 anos que estava grávida e comete suicídio, relata polícia

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.