Pessoas inspiradoras

Médico já devolveu a visão de mais de 100 mil pessoas humildes em procedimento gratuito!

Ele dedicou sua vida restaurando a visão das pessoas mais carentes e entrou na Power List 2020, que celebra as conquistas dos oftalmologistas mais influentes do mundo.



Algumas pessoas sentem prazer em dedicar sua vida ao cuidado de outras. Até confundidos com santos, esses indivíduos são como qualquer outro, mas com capacidade de se colocar no lugar do próximo, donos de uma empatia que transborda e só se contém quando toca o corpo de quem precisa.

A solidariedade e a empatia são qualidades necessárias para a suavização de uma sociedade que, cada vez mais, encara as relações humanas como negócios. Em momentos de crise, seja ela sanitária, econômica e/ou política, vemos figuras se destacando no combate direto à desigualdade social. Esse é o caso do Dr. Sanduk Ruit, oftalmologista que dedica sua carreira a cuidar e tratar pessoas que perderam a visão por motivos evitáveis.

Segundo reportagem da AP News, o médico devolve a visão turva e enfraquecida a milhares de pessoas que jamais teriam condições de pagar pelo procedimento. Em Lumbini, no Nepal, centenas de pessoas fazem fila para que Sanduk aplique sua inovadora e barata cirurgia de catarata, capaz de melhorar a vida das pessoas significativamente.


O doutor é conhecido como “Deus da Visão” em seu país, e explica que seu objetivo é que não existam mais pessoas com cegueira desnecessária no Nepal.

O médico explica que quer se certificar de que todos os moradores recebam o tratamento, independentemente de status financeiro.

Fundador do Instituto de Oftalmologia Tilganga, em Katmandu, Sanduk visita regularmente aldeias nas montanhas e nas terras baixas da nação do Himalaia, com sua equipe médica e equipamento próprio, devolvendo a visão a quem nunca mais achou que voltaria a tê-la.

Direitos autorais: reprodução/Tilganga Institute of Ophthalmology.


O médico já realizou mais de 130 mil cirurgias de catarata em seu país e agora pretende alçar voos maiores, fazendo com que mais pessoas voltem a enxergar no mundo. Junto com o filantropo Tej Kohli, ele formou uma fundação que pretende realizar 500 mil cirurgias nos próximos cinco anos.

O trabalho de Sanduk começou em meados de 1980, quando percebeu que a técnica de remover a catarata turva com uso de óculos grossos não era aplicável para as pessoas que, em sua maioria, teriam complicações e nem sequer usariam os óculos.

Foi quando desenvolveu uma técnica simples, removendo a catarata sem pontos, com pequenas incisões, substituindo-as por lentes artificiais baratas.

Em números, a cirurgia do oftalmologista custa cerca de R$ 550, mas é gratuita para quem não tem condições de arcar com esse valor. O número de hospitais e profissionais da área da saúde no Nepal é limitado, e a maioria das pessoas nem sequer tem acesso a esses serviços.


A catarata costuma aparecer em pessoas mais velhas, mas também pode afetar crianças e jovens, e consiste na formação de uma película esbranquiçada, que deixa o cristalino turvo. Isso faz com que a visão fique cada vez mais embaçada, já que a catarata evolui, podendo bloquear completamente a entrada de luz.

Direitos autorais: reprodução/Tilganga Institute of Ophthalmology.

Como o médico se empenha em oferecer a cirurgia para todos, independentemente de classe social, as pessoas são extremamente gratas a Sanduk, sendo comparado, literalmente, a um deus. Muitos podem voltar a trabalhar, aumentando a renda familiar, porque já não possuem mais dificuldades para enxergar.

A técnica de Sanduk dura, em média, cinco minutos, assim, em instantes e sem muitas complicações, os pacientes podem retomar sua vida ativa, algo com que muitos nem sonhariam.


O que você achou da atitude desse médico?

Comente abaixo e compartilhe essa iniciativa nas suas redes sociais!

“Não permito que meus alunos aprendam com fome”: professor usa próprio salário para alimentar crianças

Artigo Anterior

“Me recuso a criar homens desrespeitosos”: mãe joga todos os brinquedos do filho no lixo como punição

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.