Comportamento

Menina autista de apenas 11 anos se torna recordista do Guinness em fazer contas de cabeça!

A capacidade de Sanaa em resolver problemas complexos de matemática não impediu sua reprovação da matéria na segunda série. Os pais explicam que a educação convencional não é adequada.



Algumas crianças têm aptidões fora do comum, mostrando que são verdadeiras experts em alguns assuntos, mesmo que nunca tenham tido contato com eles de forma regular e convencional.

Seu dom, em alguns momentos, nem sequer é detectado pela comunidade escolar ou pela família, porque nem eles estão preparados para compreender temáticas ou abordagens que fogem da normalidade.

Quando tinha apenas 2 anos, Sanaa Hiremath foi diagnosticada com autismo e, durante a sua primeira infância, era incapaz de fazer coisas consideradas comuns para a idade. A menina apresentava problema de desenvolvimento motor, o que lhe impossibilitava algumas atividades simples, como segurar o lápis.


Hoje, aos 11 anos, Sanaa ganhou um prêmio do Guinness World Records (GWR) neste ano, por resolver o maior problema de multiplicação aritmética de forma mental.

A pequena menina se tornou recordista por ser capaz de multiplicar 12 dígitos, gerados aleatoriamente, de cabeça e em menos de 10 minutos, ganhando o prêmio de cálculo aritmético mental.

Sanaa resolve todas as contas matemáticas de cabeça, sem usar papel ou lápis, muito menos uma calculadora. Em entrevista ao News 9, Uday, pai da menina, conta que ela não é apenas uma máquina humana de calcular, mas que ela pode resolver equações complexas. Ele acredita que “ela não tenha nenhuma limitação, seis, sete, doze ou mais dígitos”.

Os pais, que moram na Flórida, Estados Unidos, descobriram que Sanaa era especialista em matemática quando tinha 7 anos, sempre aprendendo com muita facilidade e rapidez os assuntos que lhe eram apresentados. O conceito de multiplicação, por exemplo, ela compreendeu quase que instantaneamente.


Direitos autorais: reprodução/News 9.

A mãe da menina, Priya, conta que a filha foi capaz de digitar algumas respostas para problemas matemáticos de forma imediata, alguns dos quais ela mesma encontrou dificuldades para compreender o enunciado. Mesmo tendo uma capacidade muito acima da média, Sanaa chegou a ser reprovada na segunda série da escola.

O pai explica que deram à menina lápis e papel, e disseram que deveria escrever de um a 20, mas Sanaa tinha problemas motores e não conseguia segurar o lápis, como os demais colegas.

Mesmo sendo diferente dos amigos da mesma idade, o que não ficou evidente na época, era o tamanho do talento para matemática que ela tinha, justamente a matéria em que foi reprovada.


A família quer garantir que Sanaa seja uma criança normal de 11 anos, fazendo questão que desempenhe algumas atividades, como praticar natação, andar de bicicleta e ouvir música. Mas a menina prodígio não era bem compreendida no sistema educacional convencional, então os pais decidiram que ela deveria estudar em casa.

Direitos autorais: reprodução/News 9.

A mãe é categórica ao justificar a decisão e afirma que os professores perdem tempo tentando descobrir o que os alunos não sabem, ao invés de usar energia e tempo para focar no que eles sabem, para melhorar suas habilidades. Para Priya, cabe a nós fazer as perguntas certas, para que, ao resolver a equação de um gênio, a mente brilhante possa ser multiplicada pela sabedoria não convencional.


Sua mãe não deixa de te amar mesmo quando seu coração para de bater!

Artigo Anterior

“Pais, consegui!” Jovem leva diploma ao túmulo dos pais para cumprir promessa de que se formaria

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.