Notícias

Menina de 12 anos é achada morta no quarto dos pais na Grande SP

Foto: Reprodução
Menina de 12 anos é achada morta no quarto dos pais na Grande SP

Uma menina de 12 anos foi achada morta dentro de sua casa em Osasco, na Grande São Paulo, nesta segunda-feira (11).

Segundo a tenente Beatriz Miscow, a vítima tinha indícios de violência sexual.

A criança foi encontrada pela irmã de 15 anos. A adolescente relatou que chegou em casa pela manhã e foi dormir. Ao acordar, por volta das 13h, ela encontrou a irmã sem vida na cama dos pais, que tinham saído para trabalhar.

Um vizinho de 36 anos foi preso. Após informações de vizinhos, a polícia procurou o homem na casa dele. A mãe do suspeito informou que ele estava dormindo e que havia lavado a roupa ao chegar em casa. Ele foi conduzido à delegacia, onde teria confessado os crimes.

Suspeito tinha arranhões nas costas

O homem preso suspeito de matar uma menina de 12 anos em Osasco, na Grande São Paulo, na segunda-feira (11), teria agredido a jovem e em seguida cometido o assassinato. De acordo com os agentes da polícia, ele tinha marcas de arranhão nas costas, o que indicaria a existência de luta corporal com a vítima.

De acordo com a Delegacia Seccional de Osasco, Lewis Domingos permaneceu preso suspeito de assassinar a adolescente Ryhana Gonçalves Dias Silva, de 12 anos, com requintes de crueldade, em Osasco, na região metropolitana de São Paulo, nesta segunda-feira (11).

O homem, de 36 anos, é vizinho da vítima, e foi preso pela Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (DISE) de Osasco. A Polícia Militar foi acionada pela irmã mais velha da jovem para a rua Ferraz de Vasconcelos, por volta das 14h20.

A irmã contou que chegou em casa próximo das 7h, após voltar de uma balada, e foi dormir. Quando acordou, encontrou a irmã mais nova no quarto dos pais, sem vida, e com bastante sangue ao redor.

Segundo a Polícia Militar, a vítima foi morta com golpes de faca e há suspeita de crime sexual. A Polícia Civil ouviu vizinhos e começou a suspeitar de um homem conhecido na região. Ele sempre passava pela casa da adolescente a caminho do trabalho.

Na manhã da segunda (11), o pai da vítima percebeu que o homem estava sentado em um escadão próximo à casa, o cumprimentou e perguntou se ele iria trabalhar. O vizinho respondeu negativamente.

A polícia acredita que naquele momento o homem esperava os pais da menina saírem para entrar no imóvel. Os policiais ligaram na empresa do suspeito para saber se ele tinha ido trabalhar e a resposta foi negativa.

Em seguida, os agentes seguiram até o endereço do homem e foram recebidos pela mãe dele. A mulher disse que o filho estava com um comportamento estranho, teria chegado, lavado as roupas e ido dormir. O homem foi acordado pelos policiais e disse que não se lembrava de nada.


Se você presenciar um episódio de violência contra crianças ou adolescentes, denuncie o quanto antes através do número 100, que está disponível todos os dias, em qualquer horário, seja através de ligação ou dos aplicativos WhatsApp e Telegram.

O mesmo número também atende denúncias sobre pessoas idosas, pessoas com deficiência, pessoas em restrição de liberdade, população LGBT e população em situação de rua. Além de denúncias de discriminação étnica ou racial e violência contra ciganos, quilombolas, indígenas e outras comunidades tradicionais.

0 %