Notícias

Menina morta ao ir à padaria em Belo Horizonte foi vítima de asfixia, diz laudo

Foto: Reprodução
Menina morta ao ir a padaria em Belo Horizonte foi vitima de asfixia diz laudo

Um laudo inicial do IML (Instituto Médico Legal) de Belo Horizonte aponta asfixia por compressão cervical como a causa da morte da menina de 10 anos que desapareceu após ir a uma padaria na cidade.

O corpo de Bárbara Vitória foi liberado na tarde desta terça-feira (2). O velório está marcado para a manhã desta quarta-feira (3) e o sepultado deve acontecer às 15h do mesmo dia, no Cemitério da Paz, no bairro Alto Caiçaras, na região noroeste de Belo Horizonte.

A vítima estava com um pano na boca e as mãos amarradas quando foi localizada, já sem vida, em uma mata atrás de um campo de futebol do bairro Pedra Branca, em Justinópolis, distrito de Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. O local fica a aproximadamente 500 metros da casa da família.

O corpo tinha sinais de estrangulamento. Bárbara ainda vestia uma camisa do Atlético-MG com a qual saiu de casa, mas estava sem o short e as roupas íntimas.

A Polícia Civil ainda não passou detalhes das investigações. Um homem chegou a ser detido como suspeito, mas foi liberado.

Homenagem e protesto

No final da tarde desta terça-feira, amigos, familiares e moradores da região se reuniram no campo em que o corpo de Bárbara foi encontrado para prestar homenagens à vítima com balões brancos.

Representantes das vans escolares de Ribeirão das Neves também foram ao campinho para fazer uma carreata pedindo justiça pela garota.

Relembre o caso

Bárbara Vitória desapareceu na tarde do último domingo (31), depois que saiu para comprar pão. Rogério, pai da criança, contou que a mãe pediu para ela ir à padaria próxima da casa da família, por volta das 17h. O trajeto duraria aproximadamente cinco minutos.

O tempo passou, a garota não voltou para casa e o desespero dos pais começou. Ainda de acordo com o pai, a filha não apresentava comportamento estranho. Ele chegou a reforçar que a menina era dócil, estava feliz e passou um bom fim de semana com a família.

Na segunda-feira (1º), os parentes tiveram acesso a circuitos de segurança que registraram a Bárbara saindo da padaria. Em um trecho, ela corria com a sacola de pães nas mãos. Em seguida, dois homens também corriam na mesma direção. Um terceiro homem também aparece nas gravações caminhando na mesma direção.

A Polícia Militar foi até a casa de um dos homens, que foi reconhecido pelo filho nas imagens. Um saco com os pães também foi encontrado na casa dele. Ele foi encaminhado para a delegacia da Polícia Civil, mas liberado por falta de provas. A polícia não indicou possível ligação dos outros dois homens no caso.

Na manhã desta terça-feira (2), uma estudante de psicologia conhecida da família encontrou o corpo da criança. O delegado Saulo Castro afirma que a Polícia Civil esteve no local e investiga o caso.


Se você presenciar um episódio de violência contra crianças ou adolescentes, denuncie o quanto antes através do número 100, que está disponível todos os dias, em qualquer horário, seja através de ligação ou dos aplicativos WhatsApp e Telegram.