Comportamento

Menino abandonado adota cachorro de rua, apesar de pobreza extrema. Eles cuidam um do outro!

7 11

Rommel já passou por muitos desafios em 11 anos de existência. Abandonado pelo pai e depois pela mãe, o menino ainda tem tempo para dividir amor com um lindo cachorro!

Famílias podem ser a nossa salvação ou a nossa ruína. No caso desse pequeno menino filipino, a família dele nunca lhe deu a estrutura necessária para ser uma criança como outra.

As mudanças aconteceram de maneira rápida na vida dele e o forçaram a crescer bem antes do esperado, largar a escola e lutar pela sobrevivência, dia após dia. Mesmo com esse histórico, o menino ainda tem tempo e coração para distribuir amor.

Com apenas 11 anos de idade, Rommel Quimenales já viveu muitas dificuldades e problemas na vida, e também já sabe se cuidar sozinho, não porque quis, mas porque a vida impôs isso a ele.

Além de cuidar de si próprio, ele também cuida do seu pequeno cãozinho, Badgi. Adotado por Rommel logo depois que fora forçado a viver na rua, o cachorro é seu melhor companheiro. O menino dá ao animal o amor que nunca recebeu de outras pessoas.

2 Menino abandonado adota cachorro de rua apesar de pobreza

Direitos autorais: reprodução Facebook/Mari Kabs.

Em entrevista ao site local, o Coconuts, Rommel diz que a necessidade de viver nas ruas começou depois que o pai abandonou a família por outra mulher. Depois, foi a vez de a mãe também deixar a casa onde moravam, por outro homem, então restaram somente ele e a irmã.

A história dele só ficou conhecida depois de a usuária do Facebook, Mari Kabs, postou um relato do menino nas ruas de Quezon.

Sem ajuda financeira de ninguém, Rommel largou a escola na segunda série e passou a pedir dinheiro nas ruas da cidade onde mora, nas Filipinas. Ao mesmo tempo, a irmã foi morar com o namorado que, segundo o menino, é alcoólatra. Com essa sucessão de eventos, o garoto passou a morar nas ruas mesmo.

Confira algumas imagens de Rommel e Badgi (em filipino, com legendas em inglês) :


Ao portal filipino, ele disse que já está acostumado a ficar sozinho, sem auxílio dos pais. A mãe volta vez ou outra para pedir dinheiro e pegar comida, antes de voltar para algum caso amoroso. Ele também considera melhor viver como está do que perto do marido da irmã.

Apesar de tanto sofrimento e dificuldade na vida de Rommel, ele ainda conseguiu espaço para dar amor a um animalzinho. Tudo que consegue por meio de doações, o garoto divide com o cãozinho. Ambos abandonados, eles se tornaram os melhores parceiros.

Quando o garoto está dormindo, Badgi é o alarme, sempre que outras crianças tentam roubar o dinheiro que ele ganha mendigando na rua. Segundo ele, o que ganha nas ruas é guardado para financiar os materiais escolares, quando voltar à escola.

Como uma dupla inseparável, Rommel e Badgi se completam, um ajudando o outro na dura vida nas ruas. O mais bonito de tudo é que os dois, apesar de durões, têm muito amor para dar um ao outro.

O que você achou deste texto?

Comente e compartilhe com os amigos!