Notícias

Menino de 11 anos pula muro de casa para denunciar tortura dos pais no interior de SP

Foto: Reprodução
Menino de 11 anos pula muro de casa para denunciar tortura dos pais no interior de SP site

Um menino de 11 anos foi encontrado por vizinhos em Itu (SP) com sinais de tortura e maus-tratos.

A suspeita é de que ele sofre violência física e psicológica dos pais. O Conselho Tutelar recebeu a denúncia nesta segunda-feira (2) e foi até o local indicado para resgatar a criança.

Em relato às pessoas que o encontraram, o garoto contou que apanhava há cinco anos e era enforcado por fio. Além disso, ele disse que já foi atingido por um facão e por água de bateria de carro, o que causou uma falha no cabelo.

Os pais da criança não foram encontrados depois que o garoto foi localizado. A criança ainda contou que o pai o obrigava a mentir sobre os ferimentos.

O garoto fugiu de casa, pois não aguentava mais as agressões. Ele contou a um amigo, que revelou o caso no bairro.

Segundo o 4º Distrito Policial de Itu, o menino irá fazer exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba (SP), nesta terça-feira (3), para avaliar os ferimentos. Ele ficou sob cuidados do Conselho Tutelar.

A criança será ouvida oficialmente pela polícia com a presença de um conselheiro. Os pais são procurados para prestarem depoimento na delegacia. Um inquérito policial para a investigação do caso será instaurado.

Polícia pede prisão de pais

Segundo o delegado de Itu, o pedido de prisão dos pais foi encaminhado para ser validado pelo judiciário. A prisão preventiva foi qualificada como tortura, lesão corporal e abandono de incapaz.

Mãe foi presa em 2013

Conforme as investigações, a mãe do menino já havia sido presa em 2013 por suspeita de matar o filho mais novo. A criança tinha um ano e havia dado entrada no hospital em óbito. Aos médicos, a mãe afirmou que o bebê tinha se afogado com leite.

Captura de Tela 2022 05 05 às 08.15.49

Médico que atendeu caso em 2013 chegou a citar suspeita de maus-tratos a criança que morreu em Itu (SP) – Direitos autorais: Reprodução/ Arquivo TV TEM

No entanto, segundo o boletim de ocorrência registrado em 14 de julho de 2013, não foi encontrado nenhum tipo de alimento no organismo da criança. A mulher foi presa no mesmo dia. Na época, o pai chegou a dizer que tinha conhecimento de que a mãe maltratava as crianças, porém, nunca denunciou com medo de perder os filhos.

Após o resultado dos exames necroscópicos do bebê, a polícia pediu a prisão preventiva da mãe. O laudo apontava que a criança morreu de hipóxia aguda – insuficiência respiratória.

Entretanto, depois de um mês presa, a mulher acabou sendo liberada, já que não foi possível comprovar como e se os crimes foram cometidos por ela. O caso foi arquivado pela 2ª Vara Criminal de Itu.


Se você presenciar um episódio de violência contra crianças ou adolescentes, denuncie o quanto antes através do número 100, que está disponível todos os dias, em qualquer horário, seja através de ligação ou dos aplicativos WhatsApp e Telegram.

O mesmo número também atende denúncias sobre pessoas idosas, pessoas com deficiência, pessoas em restrição de liberdade, população LGBT e população em situação de rua. Além de denúncias de discriminação étnica ou racial e violência contra ciganos, quilombolas, indígenas e outras comunidades tradicionais.

0 %