Notícias

Negligência: Criança de 4 anos passa por vasectomia não intencional e família processa médico!

Foto: Freepik
physician noting down symptoms patient

A família dos Estados Unidos processou um médico por terem filho submetido a uma cirurgia por engano!

Ser médico é uma das profissões mais bonitas do mundo, por cuidar, tratar e ajudar os enfermos a melhorarem suas vidas, bem como trazer mais qualidade de vida a eles. Mesmo sendo uma profissão bastante inspiradora, a carreira também exige cuidado e atenção extrema para que erros não sejam cometidos, visto que eles podem afetar para sempre a vida do paciente.

Um caso assim aconteceu no Texas (EUA), quando uma família processou um médico e o Texas Children’s Hospital depois que o filho de apenas 4 anos foi submetido por engano a uma vasectomia durante uma cirurgia que o menino precisava para tratar uma hérnia na virilha. Infelizmente, por causa do erro, talvez o menino nunca mais consiga ser pai.

A cirurgia aconteceu em agosto de 2021, e, de acordo com a Fox 4 News, o advogado Randy Sorrels, que representa a família da criança, disse que a cirurgia tinha como objetivo tratar apenas uma hérnia na região da virilha. Porém, em algum momento durante o procedimento, a criança foi submetida a uma “vasectomia não intencional”.

Imagem 1 Negligencia Crianca de 4 anos passa por vasectomia nao intencional e familia processa medico 1

Direitos autorais: Reprodução / Texas Childrens

O advogado afirma que é raro alguém fazer uma vasectomia por engano e que eles acreditam que o médico cortou acidentalmente o ducto deferente, um dos tubos responsáveis por transportar o sêmen reprodutivo. Antes de cortar qualquer parte da anatomia do corpo, é preciso que o médico certifique se é realmente aquela parte que precisa ser cortada, antes de cortá-la de fato.

Apesar do cirurgião não ter histórico de negligência, na visão de Randy Sorrels, o mais chocante é que ele se recusa a ser responsabilizado pelo erro. Assim, o objetivo principal do processo iniciado pela família é que o doutor seja condenado pelos seus atos.

Infelizmente, se no futuro o menino quiser ser pai, dificilmente ele vai conseguir, visto que passou por essa cirurgia antes mesmo de completar a maioridade. Ou seja, por um pequeno erro médico, a criança foi afetada pelo resto de sua vida. Apesar disso, o advogado disse que, pode ser que, com as novas cirurgias e o avanço da tecnologia, no futuro talvez ele ainda consiga ter filhos.

Preocupação da família

Após tudo o que aconteceu, a família está bastante triste com a cirurgia imposta ao filho, que não tem culpa pelo o que aconteceu. Eles temem as conversas futuras que terão que ter com ele na adolescência e sabe que o menino também terá que explicar sobre o que aconteceu em seus futuros relacionamentos, se quiser começar uma família.

Conforme o advogado Randy Sorrels disse, a maior preocupação dessa família por ora, é como essa negligência médica pode afetar emocionalmente e fisicamente o filho, principalmente em relação a sua vontade de ter ou não filhos quando se tornar adulto.

coronavirus medical staff banner template mockup scaled

Direitos Autorais: Reprodução/Freepik

Declaração do hospital

Ainda segundo o Fox 4 News, um porta-voz do Texas Children’s Hospital forneceu uma declaração por escrito respondendo sobre o caso. Na nota ele afirma que a principal prioridade do hospital é a saúde e o bem-estar de nosso paciente. Mas, devido aos requisitos de privacidade do paciente, não pode comentar sobre o caso.

Vasectomia

De acordo com o Saúde Abril, a vasectomia é um dos métodos de contracepção mais eficientes e seguros que existem. A cirurgia consiste em cortar e ligar os ductos deferentes, que são dois pequenos tubos que saem de cada um dos testículos e por onde passam os espermatozoides na hora da ejaculação. Assim, eles não conseguem chegar ao corpo da parceira. Ou seja, cortar esses ductos significa que a pessoa dificilmente terá filhos no futuro.


*Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.