Menino explica a diferença entre sua mãe “pobre” e seu pai “rico”



Meus pais são separados e minha mãe tem a minha guarda. Divido os meus dias ao lado dos dois, mas vivo duas realidades muito diferentes quando estou com cada um. O salário de meu pai tem cerca de oito dígitos, e minha mãe tem uma renda muito humilde.

Durante a minha infância, fui apresentado a diferentes possibilidades e oportunidades de vida. Minha mãe podia me comprar apenas brinquedos, jogos e roupas simples, e meu pai, em eterna rivalidade sobre quem poderia me oferecer melhores condições de vida, sempre fazia questão de exibir tudo o que podia me dar.

Eu nunca pedi nada demais para ele, porque fui educado em princípios simples, e as coisas materiais não eram tão importantes assim para mim. No entanto, um episódio que eu me lembro bem aconteceu em minha adolescência, período no qual eu visitava meu pai a cada dois finais de semana. Em um desses finais de semana, quando eu tinha cerca de 17 anos, eu resolvi pedir algo para meu pai que realmente sempre quis, um Jet Ski. Depois de duas semanas, quando voltei a sua casa, tinha um Jet Ski de 15 mil euros esperando por mim no quintal.

Em minha experiência como filho de um pai rico, eu aprendi que a melhor parte de ter dinheiro é o conforto, a conveniência e a alegria que ele pode proporcionar.

No entanto, também tem uma parte que não é tão boa assim: a falsa sensação de felicidade que pode nos dominar. Verdadeira felicidade é sentir-se amado, cuidado!

Dois anos antes de eu ganhar esse Jet Ski de meu pai, minha mãe abriu uma conta no banco para mim, vinculada a ela. Toda vez que acontecia alguma movimentação nessa conta, eu era notificado.

Quando eu tinha 16 anos, pedi um computador para jogar. Ele custava 600 euros, então eu disse a ela que eu iria ajudá-la com a casa e que iria procurar um emprego para poder pagá-lo.

No dia seguinte, eu recebi duas notificações do banco. Uma me informava de uma nova compra no valor de 1.500 euros e a outra era um aviso de que a conta estava no vermelho: -1.350 euros na conta. Eu nunca disse à minha mãe que sabia que ela tinha usado minha conta para fazer essa compra para mim, e não me arrependo.

Afinal, ela me mostrou que realmente me ama e que faria tudo por mim com suas atitudes, que valem muito mais do que palavras.

Eu precisei de 3 meses de salário para devolver à minha mãe o dinheiro que ela gastou para me dar o tão desejado computador.



Depois de um tempo, ela adoeceu e ainda não está muito bem. Agora, estou na faculdade, mas mesmo assim volto uma vez por mês para casa para ajudá-la nas tarefas de casa e em tudo o mais que precisar.

Minha mãe nunca me deu os jogos e brinquedos mais caros, não atendeu todos os meus desejos e muito menos me deu um Jet Ski. No entanto, o que ela me deu durante a vida inteira é muito maior e mais valioso do que qualquer bem material que meu pai pode comprar para mim. Ela me deu amor, atenção, presença e tempo.

Não julgue seus pais ou qualquer outra pessoa pela quantidade de dinheiro que pode lhe oferecer. Dinheiro é apenas papel, são os sentimentos que realmente fazem a diferença em nossas vidas.

O que você achou da reflexão? Você concorda com o menino? Compartilhe seus pensamentos através dos comentários e compartilhe essa reflexão com as pessoas importantes em sua vida!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: leszekglasner / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.