Notícias

Menino morto pela mãe no RS era obrigado a escrever frases ofensivas em caderno, diz polícia

A Polícia Civil apreendeu, na noite de terça-feira (3), um caderno com frases ofensivas, que segundo a investigação eram copiadas por Miguel dos Santos Rodrigues, de 7 anos. A mãe da criança, Yasmin Rodrigues, de 26 anos, está presa após confessar ter matado a criança.



Segundo o delegado Antonio Carlos Ractz, Miguel era obrigado a copiar frases como “eu sou um idiota”, “não mereço a mamãe que eu tenho”, “eu sou ladrão, “eu sou ruim” e “eu sou um filho horrível”.

O objeto foi apreendido em um dos apartamentos onde Miguel morou com a mãe, no Balneário de Santa Terezinha e outro no centro de Imbé. Além do caderno, a polícia também localizou uma corrente, que seria utilizada para manter a criança presa.

Conversas divulgadas pela polícia mostram a mãe e a madrasta de Miguel, Bruna Nathieli Porto da Rosa, conversando sobre a compra da corrente. Bruna também está presa. Ela e Yasmin foram transferidas do Presídio de Torres para a Penitenciária Feminina de Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre.


A advogada que defende Bruna, Josiane Tristão Silvano, afirma que analisa o inquérito e as provas produzidas, e que irá emitir posicionamento assim que conversar com a investigada.

A perícia criminal também esteve nos apartamentos e coletou material genético, informou o delegado.

Direitos autorais: Divulgação/Polícia Civil

Segundo o relato feito à polícia, a mãe dopou a criança usando medicamentos, colocou o corpo dentro de uma mala e jogou no Rio Tramandaí, há uma semana.


Na quinta-feira (29), foi à Polícia para relatar o suposto desaparecimento da criança. Ao apresentar contradições, foi questionada pela polícia e confessou o crime. Segundo a Polícia Civil, a criança sofria tortura física e psicológica.

Sétimo dia de buscas

O Corpo de Bombeiros Militar acredita que o corpo tenha sido levado para o mar, onde o rio desemboca, devido à vazante. As buscas chegam ao sétimo dia nesta quarta-feira (4), e são realizadas entre a praia de Tramandaí e a cidade de Torres, no Litoral Norte do RS.

Drones também são empregados nas buscas. Nesta semana, cães farejadores também devem passar a ser usados.


“Hoje [quarta] as nossas buscas se manterão na orla, deslocamento pela areia e visualização do mar com o drone. Água do mar com boa visualização, nível do rio e lagoa muito baixos”, diz o tenente Elísio Lucrécio.

Lucrécio informou também que estão sendo feitas buscas em locais próximos à casa onde a família morava.

“A gente não descarta a possibilidade dela ter largado essa criança em outro lugar. E também não descartamos a ideia de que, aquela criança talvez não coubesse dentro da mala. Então tem outras linhas de atuação sendo vistas. Mas são locais de difícil acesso, com mato fechado, lodo”, diz.

Direitos autorais: Reprodução/RBS TV


Preso por uma pesada corrente, cãozinho é salvo e finalmente conhece a liberdade!

Artigo Anterior

Após morte do filho, cantora Walkyria faz alerta: ‘Vigiem. A internet está doente’

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.