Animais

Menino que ajuda cães a serem adotados ganha prêmio de organização que combate a crueldade animal

capa site Menino que ajuda caes a serem adotados ganha premio de organizacao que combate crueldade animal

Evan, de apenas 11 anos, lê livros em voz alta para os cães que ficam nos Centros de Cuidado Animal de Nova Iorque, nos Estados Unidos.



O amor pelos animais pode ser alimentado ainda na infância, quando os genitores ensinam sobre cuidado, respeito e como devemos tratar bem todas as espécies. Nem sempre é fácil fazer com que compreendam o tamanho da responsabilidade que é cuidar de um bichinho, mas assim que acontece, sentem tanta empatia quanto podem.

Foi assim que Amanda Persaud, em 2019, resolveu integrar o filho ao cuidado de animais de abrigos. A mãe descobriu uma iniciativa chamada Books With Boroughbreds, um programa do Animal Care Center, que incentiva crianças a melhorar suas habilidades de leitura lendo para cães abandonados. Ela não pensou duas vezes e levou o menino ao abrigo, em Manhattan.

Em reportagem do Washington Post, Evan Bisnauth explica que, no primeiro dia em que foi ao local, passou cinco horas lendo para todos os cães, e depois disso quis ir todos os fins de semana. O menino descobriu que, enquanto aprimorava sua leitura, os cachorros iam se tornando mais sociáveis e adotáveis, e inclusive revela que no final de cada história reforçava que eles seriam adotados, bastava não desistir.


No ano passado, quando a pandemia da covid-19 exigiu que a maioria dos locais permanecessem fechados ao público, uma das medidas sanitárias para frear a disseminação do vírus, o abrigo suspendeu as visitas aos sábados. Evan então teve a ideia de abrir uma página no Facebook onde postava pequenos vídeos que tinha feito de cãezinhos que precisavam de um lar.

A página chamada EB and the Pets foi a forma que o menino encontrou de ajudar seus amigos caninos, já que naquele momento já não podia mais ler para eles. O abrigo enviou fotos dos animais que estavam na fila da adoção, e Evan passou a editar os vídeos curtos com a ajuda de um aplicativo. O mais recente da página é sobre Simba, um cachorro de 2 anos e muita energia, que gosta de exibir suas conquistas.

2 Menino que ajuda caes a serem adotados ganha premio de organizacao que combate crueldade animal

Direitos autorais: reprodução/ arquivo pessoal

Cada cão recebe uma adorável descrição, mostrando como foi o contato de Evan com ele, como se comporta, o que gosta de fazer e se precisa de algum auxílio ou acompanhamento veterinário. São muitos os que têm questões sérias de saúde, mas os vídeos do menino de apenas 11 anos fazem com que a maioria seja adotada rapidamente, conseguindo aquilo que tanto precisam: um lar.


A mãe do menino explica que ele se dedica muito a cada um daqueles cachorros e que tenta nunca os decepcionar. Em outubro deste ano, Evan foi homenageado como o Garoto do Ano da Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade com os Animais (ASPCA), um prêmio que ele espera que sirva de inspiração para outras pessoas de sua idade, mostrando que podem ajudar, abrigar animais em casas ou até mesmo mobilizar a comunidade para que isso aconteça.

3 Menino que ajuda caes a serem adotados ganha premio de organizacao que combate crueldade animal

Direitos autorais: reprodução YouTube/ Inside Edition

Evan explica que ajudar os cachorros lhe proporciona muita felicidade, e acredita que se todos lessem ou tentassem fazer com que fossem adotados, fariam extrema diferença no mundo. De acordo com dados locais, a adoção de animais nos Estados Unidos aumentou neste tempo de pandemia, inclusive chegou a existir escassez de animais prontos para serem adotados durante algum tempo. Além disso, cerca de 90% dos cachorros adotados continuaram em seus novos lares.

A presidente e CEO da Animal Care Center, Risa Weinstock, explica que o esforço de Evan para ajudar os cachorros em Nova Iorque ajudou a aumentar a conscientização e a tornar os mais velhos e com problemas de socialização mais adotáveis, tudo por conta da leitura. Ela conta que é notável o efeito calmante em cada um dos abrigados, que sentem como se ele estivesse ali apenas para cada um deles, reduzindo substancialmente os níveis de estresse.


Socialite é criticada por ter apenas modelos brancas e magras e por não ser inclusiva

Artigo Anterior

Engenheiro preso no RJ tinha “quarto da Disney” para estuprar crianças

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.