Comportamento

Menino que vendia picolé na praia ganha cadeira de rodas para irmã e mais de R$ 190 mil

Com apenas 12 anos, David trabalhava na praia vendendo picolé, a gentileza do garoto chamou a atenção de uma fotógrafa, que compartilhou sua história nas redes sociais.



Algumas famílias vulneráveis, muitas vezes, precisam apenas de um simples olhar, algo que pode mudar suas vidas radicalmente. O que para muitos pode parecer uma ajuda ínfima, para outros pode representar um divisor de águas.

São muitas as crianças que precisam abandonar seus estudos ou dividir seu tempo para trabalhar e complementar a renda da família, algumas desempenhando funções que adultos não dão conta.

O adolescente, de apenas 12 anos, David William, vendia picolé na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, para complementar a renda da família e, quem sabe, juntar dinheiro para comprar um celular novo. Foi justamente ali que o menino conheceu Paula Beltrão, uma fotógrafa de 43 anos, de Belo Horizonte (MG), que decidiu conhecê-lo, uma atitude que mudou a sua vida e a de sua família.


Em um dia de praia, o marido de Paula chamou David e disse que compraria todos os picolés que ele tinha no isopor. Infelizmente, o calor era grande e todo o seu gelo havia derretido, fazendo com que os picolés não estivessem congelados da forma como deveriam. Ele imediatamente pediu desculpas e disse que não cobraria pelos produtos, mas a fotógrafa se recusou.

A mulher decidiu lançar um olhar um pouco mais cuidadoso para o garoto, percebendo sua bondade e gentileza. Ela iniciou uma conversa com David, que acabou conhecendo Gael, seu filho, com quem faria uma linda e sincera amizade.

O menino contou um pouco da sua história, falou do sonho de comprar um celular, da casa humilde em que vivia com sua família e da condição de sua irmã mais nova, que tem paralisia cerebral.

A exigência de cuidados da irmã impede a mãe de trabalhar, fazendo com que David custeie as despesas da casa com o dinheiro da venda de picolés. Paula decidiu compartilhar a história do menino nas redes sociais, e os internautas se mobilizaram para arrecadar dinheiro que pudesse ajudar essa família.


Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@davidsorrisso2021.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

Ele ganhou um celular novo, mesmo sem nunca ter pedido nada, e sua irmã, a cadeira de rodas de que tanto precisava. A vaquinha arrecadou mais de R$ 190 mil, dinheiro que ele investiu na compra de uma nova casa, em um bairro menos perigoso, melhorando a qualidade de vida de sua família.


Depois de tantas surpresas, eles moram agora em uma casa nova, com tudo a que têm direito, e decidiram investir na venda de roupas, para conseguir uma renda mensal. A fotógrafa acredita que sua publicação pode ter mudado a vida de David, mas revela que conhecê-lo também mudou sua vida profundamente, fazendo-a perceber que é muito importante lançar um olhar para o próximo.

Conhecido oferece doce a criança e ela desenvolve infecção grave. “Quando uma mãe fala ‘não’, é ‘não’…”

Artigo Anterior

Formado, engenheiro que passou fome agradece aos pais que o apoiaram: “O diploma é meu e dos meus pais”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.