publicidade

Menos? eu me recuso a ser menos! por que não sermos todos mais?

Há tempos ouço as pessoas falando: – Menos, menos Patricia, menos…

É incrível, durante toda a minha a vida ouvi:



– Porque um sonho tão alto?

– Porque você não desce, Patricia, você tem que andar mais baixo.

– Você não vai mudar o mundo, Patricia.


– Você não é Deus.

– Não exagere.

– Ria menos.


– Você é sempre assim? Alegre?

– A Patricia é doidinha!

– Desce do céu, Patricia!

– Para que tantos cursos?

– A Patricia é meio tresloucada!

– Você tem que se acostumar com a normalidade.

– Saia do mundo da Lua, Patricia.

– Desce do Palco, Patricia.

– Patricia, menos, por favor!

– Patricia, no País das Maravilhas.

– Patricia, seja menos!

Como se não bastasse, nesta semana, ao ser divulgado na imprensa que um artista havia feito uma casa de madeira para seus filhos, foi o suficiente para uma pessoa dizer:

– O senhor poderia, por favor, parar de ser isso tudo?  Sério, seja menos!

Para, para, para tudo! Como assim? Seja menos??

Afinal, a reflexão que me leva é: por que temos que ser menos?

Olha, não estou aqui para falar do rapaz da publicação e muito menos do artista, maravilhoso, por sinal! Rsrsrsrs. Ele realmente é um homem de muitas habilidades! Mas, por que ele tem que ser menos? Realmente, muitos levaram a publicação na brincadeira. A grande questão é que em toda brincadeira há um fundo de verdade. Gostaria que pensasse:

– Quando você vê alguém com um carrão importado, o que você pensa?

– Quando você recebe o convite de casamento do seu primo, na casa de festa mais top da cidade, o que você pensa?

– Quando seu vizinho o convida para passar o fim de semana na casa nova de praia, o que você pensa?

– E quando o filho estuda há três anos para concurso e o filho da sua amiga passa no primeiro, o que você pensa?

Queria que levasse a sério essas perguntas, porque por muito tempo quando via um carrão na rua, dirigido por uma mulher, meu pensamento não era louvável!

Como assim? Sério! Sabe, eu sempre me considerei uma pessoa boa, porém que sentimento era aquele? E por mais que eu negasse, eu tive que reconhecer que aquele sentimento era algo ruim. E só reconhecendo-o eu poderia mudar. Afinal, que tipo de pensamentos e sentimentos são esses? Alguns podem dizer inveja, mas, vou além… de uma certa forma, quando vejo algo que não tenho, ou não sou, e critico ou tenho sentimento de inveja, desdém, menosprezo, ridicularizo, brinco, enfim… O que estou realmente fazendo? Pense comigo…

Será que estou dizendo para mim mesmo, que eu não posso? Que eu não consigo? Que eu não sou e nunca serei? Que não sou merecedor?

Tudo bem, nem todo mundo quer uma BMW. Nem todos querem ir à Paris. Afinal, cada um tem seu jeitinho. Falo com as crianças que atendo, graças a Deus, existem pessoas  que não gostam do meu jeitinho. Ufa! Senão, só eu seria famosa??? Rsrsrs. Como viveriam as outras profissionais, se todos só gostassem da Patricia Estrela?

A grande verdade é: por que temos tanto que nos comparar com o outro, se na verdade o incrível da humanidade é exatamente a diversidade? Por que tenho que ser magra? Porque tenho que ter aquele cabelo ou vestir aquela roupa? Por que tenho que ter aquele celular? Porque tenho que rir menos? Porque não posso fazer uma casa de madeira para meus filhos?

Gente,  a que ponto estamos chegando? Conheci um rapaz há três semanas que após um evento traumático, que o levou a se ausentar do trabalho, não saindo de casa por 11 meses, pelo simples fato de sentir  medo da opinião dos outros.

– O que eles vão dizer se eu voltar agora?

Alô, alô… Vamos acordar!!! Quem somos, afinal, para fazermos tantos julgamentos, cobranças e comparações? Quem, afinal de contas, estabeleceu essa tal tabela da normalidade? Se essa pessoa existe, ela deve ter divulgado uma tabela baseando-se por baixo, no mínimo, da capacidade humana. Por que temos que nos acostumar com o mínimo? Com o pouco? Com o pequeno?

Não!!! Eu me recuso!!! EU NÃO SEREI MENOS!!!

Disseram-me que fui feita à Imagem e Semelhança. Que teria vida Próspera e Abundante.

Porque então não sermos todos MAIS?

Porque não ajudarmos uns aos outros e sermos todos MAIS?

O MAIS de um nunca será o MAIS do outro. Somos diferentes, únicos e singulares. Vamos amar o que somos. E mais amar o que o outro é, o jeitinho de cada um. Agora, se encontrar alguém em minha caminhada que tenha algo que você sonha e almeja, que tal pensar:

– Uauuu. Se ele conseguiu, eu também posso!

AH! E não venham me dizer que não mudarei o mundo. Vou sonhar alto sim. Ando nas nuvens sim, porque sou uma estrela, nasci para voar. E o melhor é que você também é uma estrela, somos todos. Todos temos nossa luz, nosso brilho, nossa essência divina.

Venha, voe comigo!

Não permita que ninguém diga a você para ser menos. Não aceite ser menos. Quantas histórias já vimos para provar que você pode chegar lá! Temos exemplos de grandes personalidades, que começaram do nada e decidiram simplesmente ser mais!

Vou mudar o mundo sim, fazendo minha parte, começando por mim, mudando o meu mundo.

Seja a mudança que você quer ver no mundo,  já dizia Mahatma Gandhi.

A minha pequena grande parte, que somada com sua parte,  a da sua tia, com a parte de meu vizinho, seu irmão, minha filha, meus amigos, seus clientes e as crianças… uau!

Juntos somos mais, então vamos ser MAIS!

Quem topa ser MAIS?

#eujatopulando #estamosconectados #juntossomosmais

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.