ColunistasEnergias

Mês de abril, outono, transformações – vibração energética do número 4:

Mês de Abril Outono transformações Vibração Energética do número 4

O mês de abril chegou e com ele a estação que para mim é a mais completa, o outono: nem muito quente e nem muito frio, dias e noites proporcionais, sol, céu azul, céu estrelado e brisa fresca.



E falando energeticamente, outono, essa estação é um convite à introspecção, a olhar para o próprio interior, buscando dissolver o que temos em nós que já não condiz mais com o que nossa evolução pede no momento.

Para florir, temos que nos amar, perdoar, transcender para ser. Abraçar nossa história e honrá-la, aprender com ela as melhores lições para o nosso progresso na vida.

Juntando tudo isso com o Mês 4 – Abril, devemos nos unir a energia do mês que é uma energia de praticidades, disciplina, lealdade, organização, construção e cautela.


Tudo em primeira instância, ou seja, aplicando conosco para posteriormente semear todas essas qualidades aos outros. Se não conseguirmos ser para nós o que mais almejamos, corremos o enorme risco de vibrar com menos qualidade, tornando-nos improdutivos, incompetentes, negligentes, inflexíveis, descuidados, grosseiros, avarentos, rígidos e ranhetas: Somos o que queremos ser e nos permitimos. Ninguém além de nós tem responsabilidade nisso.

O Mês de Abril,  proporciona a oportunidade de produzir resultados tangíveis. A séria dedicação à economia, às rotinas e à aptidão seja ela física, mental, emocional ou espiritual deve ser de máxima prioridade: preste maior atenção em suas próprias habilidades inatas e faça alguma coisa por elas, como por exemplo, colocá-las em prática.

A preguiça, a desorganização e a ausência de praticidade não pode ter maior força neste momento devendo ser abolidas definitivamente. Trabalhe em vez de conversar sobre o que poderia e deveria ser feito. Seja eficaz, meticuloso e escrupuloso ao estabilizar as próprias finanças. Organize o tempo, não desperdice energia, e cumpra os compromissos: é na importância da rotina que está também o segredo do sucesso. As ideias mirabolantes e sonhos impalpáveis saem pelas janelas, enquanto as ideias práticas por aí entram.

Este mês de energia 4, nos convida para a organização de vida diária para evoluir: outono, energia vibratória de transformação para a verdadeira realização. Lua Crescente, energia vibratória para se acreditar nas convicções, sonhos e objetivos que contribuem para uma vida realmente verdadeira, com nova escrita, novos traçados.


No Outono, a natureza nos mostra mais uma vez a beleza de sua sabedoria: é preciso entrega, é preciso deixar ir o que não serve mais, para proteger o que é mais importante: quanto mais me conheço, mais eu me curo e me potencializo para ser de fato o que eu mais quero.

Reflita a partir disso: o que você precisa deixar ir, do que você precisa abrir mão para seguir firme para os próximos ciclos, para continuar a crescer? O outono é também estação de amadurecimento dos frutos. É o tempo de deixar ir inclusive os resultados de nossos esforços, para que novas forças possam gestar outros futuros projetos.

Durante essa época é válido observar quais elementos em você precisam ser sacrificados para que o mais sagrado para sua vida seja preservado ou resgatado.

Pense na palavra sacrifício a partir de sua etimologia: é um sagrado ofício, um trabalho, uma ação que possui um caráter sagrado, para além do superficial, que transcende o banal, que tem um significado maior: foi no outono que nosso Mestre Jesus nos mostrou a transformação da vida, o que precisa morrer em nós para que algo muito maior possa surgir, nascer ou renascer, – Sua Paixão, A Sua Páscoa-.


É importante questionar se o medo e a dúvida estão impedindo seus ideais maiores de serem realizados. Reflita se alguns comportamentos repetitivos lhe afastam do seu real potencial criativo. Talvez seja chegado o momento de tomar consciência e assumir uma atitude de compromisso consigo, desapegando-se daquilo que não lhe serve mais, daquilo que esteja impedindo seus passos rumo às próximas estações de seu crescimento, do que lhe rouba tempo, das superficialidades, das futilidades.

Não é simples, nem fácil, mas também não é impossível. Como tudo na natureza, nossos processos de mudança carecem de tempo para se instalarem. Tempo para ir amadurecendo, até que seja o momento da colheita. Passo a passo, reflita sobre os pesos desnecessários que podem estar atrasando seu caminhar, vá se desapegando e deixando ir.

Reconhecer a própria história, dar o devido valor a tudo que já foi vivenciado, faz crescer, evoluir e desenvolver a própria vida. Conscientizando-se dos atos, das atitudes, dos sonhos e dos objetivos, estamos acreditando e sentindo como é verdadeiro na essência, é viver a vida verdadeiramente, sem reprodução do que já foi e do que já está escrito.

Abril, transformação, conscientização e vontade. Faça da rotina a estratégia para desenvolver-se, planejar e colocar em prática o que você tem de melhor. Percorra a sua própria estrada


Feliz abril, feliz outono, feliz Ser!

Não quero um tablet, eu quero sua atenção!

Artigo Anterior

Eu quero e vou te roubar um beijo…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.