Meu grande amigo, Santo Antônio, que meu relacionamento seja feliz e eu viva um amor sem medidas!

É o santo conhecido como protetor das causas perdidas e também casamenteiro. Tal fato é conhecido por ajudar, em vida, diversas mulheres pobres com enxoval e dote.



Todo dia 13 de junho vemos os mesmos rituais: manifestações, velas acesas, orações e veneração à imagem de Santo Antônio. As pessoas insatisfeitas com sua vida amorosa rezam para que o santo interceda para que haja melhor sucesso nos relacionamentos, para que se encontre a pessoa ideal ou mesmo que haja uma reconciliação com a pessoa amada, afastada por motivos diversos.

Mas você sabe quais são as histórias de Santo Antônio?

Origens, vida e obra – as histórias de Santo Antônio 

Fernando de Bulhões era o seu verdadeiro nome. Ele nasceu em Portugal, em 1195. Criado em uma família rica, morava em Lisboa. Aos atingir 25 anos, formou-se sacerdote em uma época em que fama de São Francisco de Assis se espalhava pela Europa e também crescia em Portugal. E assim começaram as histórias de Santo Antônio.


Da Ordem de Santo Agostinho, teve toda sua formação sacerdotal baseada em estudos na cidade de Coimbra, também no país lusitano. Ele entrou nessa ordem em 1220, quando adotou o nome de Antônio e partiu em missão para o Marrocos.

Mas problemas de saúde o obrigaram a voltar à Europa, e ele precisou recomeçar a vida, até que foi morar na Itália e lá teve contato com São Francisco de Assis.  Santo Antônio esteve em um grande encontro com mais de 5 mil frades franciscanos no chamado Caminho das Esteiras.

As histórias de Santo Antônio continuam. Já conhecido como Frei Antônio, passou a ministrar aulas de teologia aos frades de Bolonha. Essa era a cidade na qual estabeleceu residência depois do encontro com São Francisco de Assis, que o chamava de “Frei Antônio, meu bispo”.


Com apenas 26 anos de idade, ganhou o cargo de provincial dos franciscanos do norte de Bolonha. Tal fato foi um marco devido à sua pouca idade para tamanha responsabilidade no clero.

Chegou a ser enviado a Roma para tratar de assuntos da ordem dos franciscanos com o papa Gregório IX, que ficou muito impressionado com sua inteligência e conhecimentos acerca da religião católica. Isso já após a morte de São Francisco de Assis.

Milagres atribuídos ao santo 

Segundo a tradição, Santo Antônio chegou a ficar por 15 meses como um eremita no Monte Paolo. Fazia peregrinações entre os mais necessitados e em suas pregações chegou a falar para mais de 30 mil pessoas, e alguns milagres aconteciam, entre curas de doenças e outras coisas.

Santo Antônio morreu em 13 de junho de 1231, na cidade de Pádua, na Itália, aos 36 anos. Foi sepultado em uma basílica localizada nos arredores e canonizado no ano seguinte. O dia de sua celebração remete à sua morte.

Há diversas peregrinações à igreja em que foi sepultado e sua fama cresceu a ponto de atravessar o Atlântico e chegar ao Brasil.

O casamenteiro

Santo Antônio é padroeiro das cidades de Lisboa, em Portugal, e Pádua, na Itália, onde morou e pregou. É o santo conhecido como protetor das causas perdidas e também casamenteiro. Tal fato é conhecido por ajudar, em vida, diversas mulheres pobres com enxoval e dote, numa época em que o casamento tinha conotação e exigências diferentes das atuais.

As histórias de Santo Antônio mostram que ele não costumava pontuar o casamento em seus sermões e pregações, ainda assim é o mais procurado por pessoas solteiras para interceder por um novo relacionamento, para encontrar a pessoa certa ou mesmo para que o namoro vire casamento em breve.

No Brasil, tal devoção ainda se intensifica pelo fato de seu dia de celebração ser seguinte ao Dia dos Namorados. Segundo a tradição, houve uma ocasião em que uma fiel se ajoelhou perante a imagem de Santo Antônio, em Nápoles, na Itália, pedindo intercessão por um casamento. Ela teria, milagrosamente, encontrado um bilhete com a indicação do nome de um comerciante.

Tal bilhete indicava que ele deveria oferecer como dote o equivalente em moedas de prata ao peso desse bilhete. Então, tal comerciante lembrou-se de uma promessa não cumprida ao santo depois de alcançar uma graça solicitada. Eis que, com tal dinheiro, ele pôde seguir a tradição da época e eles se casaram. Aí se iniciaram as crenças e histórias de Santo Antônio casamenteiro. E essa imagem o santo nunca perdeu.

Oração a Santo Antônio

Há diversas orações a Santo Antônio, boa parte delas pedindo sua intercessão pela vida amorosa, por futuros ou atuais relacionamentos, como casamento, estabilidade na relação ou coisa parecida.

Mas também há pedidos pelas causas ditas impossíveis, que afligem aqueles que, num momento de desespero, apelam a Santo Antônio para tentar escapar de momentos de muita dificuldade, tensão ou indecisão.

Abaixo, segue uma oração a Santo Antônio, uma das que não se apegam apenas aos pedidos por relacionamentos mais duradouros, mas também suplica por outros aspectos de nossa vida, pedindo também muita proteção. Afinal toda ajuda do Céu é bem-vinda, não é mesmo?

Meu grande amigo Santo Antônio, tu que és o protetor dos namorados, olha para mim, para a minha vida, para os meus anseios. Defende-me dos perigos, afasta de mim os fracassos, as desilusões, os desencantos. Faz que eu seja realista, confiante, digna(a) e alegre.

Que eu encontre um(a) namorado(a) que me agrade, seja trabalhador, virtuoso e responsável. Que eu saiba caminhar para o futuro e para a vida a dois com as disposições de quem recebeu de Deus uma vocação sagrada e um dever social. Que meu namoro seja feliz e meu amor sem medidas.

Que todos os namorados busquem a mútua compreensão, a comunhão de vida e o crescimento na fé. Assim seja!

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.