ColunistasRelacionamentos

Minha gota de afeto só será suficiente para quem já é um oceano de amor!

Tem algumas pessoas, geralmente próximas, que não medem o que falam e muitas nem colocam em prática a empatia (do Grego EMPATHEIA, “paixão, estado de emoção”, formado por EN-, “em”, mais PATHOS, “emoção, sentimento”. A ideia de estar “dentro” do sentimento alheio).



Julgam sem ter entendimento do verdadeiro mundo do outro e ainda cobram uma atenção impossível de ser dada, pois vem de uma criança esfomeada de amor, a qual aprisionam perpetuamente dentro de si mesmas.

E assim a necessidade de seus egos – exigentes de afeto – extrapolam as vontades genuínas de seus corações. O sentimento de amor chega a ser constantemente cobrado…trocado…e não dado de graça… em correspondência mútua.

Isto nos sufoca, entristece-nos, pois não conseguiremos nunca ser suficientes. Pois somos o eterno pouco totalmente insuficiente. Somos como aquela última gota que se esforça para abrandar a sede infinita de amor do outro.


Semana passada vivi uma situação bem semelhante que me deixou desolada. Na mesma noite do ocorrido mandei uma mensagem para uma grande amiga. Quem sabe algumas de suas palavras aliviassem minha angústia? Mas era tarde e certamente a mesma já estava dormindo.

Entretanto, logo na manhã seguinte, ela me ligou e disse que havia cancelado um treinamento em seu trabalho para tomar um café comigo. Minha tristeza resolveu aceitar a proposta e então a amiga especial veio me buscar em casa. Desabafei no meio do caminho e continuamos nossa conversa em meio às gostosuras dos salgados e da quentura e do amargo do café nos acordando para a vida. Após este pequeno instante considerável, ela me surpreendeu ainda mais: “Agora vou levar você para o meu lugar secreto!” Lugar secreto? Achei até engraçado e sem pensar muito segui seu coração. Fomos até o farol mais alto da cidade em que moramos.

Bem… até então não estava entendendo muita coisa. Só sabia que todo farol é um monumento lindo. Mas, onde seria mesmo esse tal lugar secreto? Parei de me questionar e acompanhei seus passos apressados. Subimos várias escadas. Algumas bem abertas me fazendo superar medos infantis de altura.

Entretanto, ao chegarmos no topo, captei seu segredo muito além do local escolhido para ser secreto: ela era apenas uma menina sensível que mesmo colhendo desafetos em sua existência passada sabia bem do amor que continha. E não haveria melhor lugar que aquele para entrar em sintonia com toda sua fagulha divina em abundância. Ela tinha plena consciência de que seu amor já era o suficiente, como o vento que nos acalenta com seu alvoroço delicioso, como o som do mar que nos chama para senti-lo, como a maresia que nos dão beijos salgados de recepção com tanta alegria, tudo era nos dado com o amor da criação divina.


Definitivamente, há pessoas que nos tocam a alma… que não querem nada de nós… que nos enlaçam para sempre, pois apenas dão sua gota incessante de amor… sem imposições… sem medos… sem políticas de barganha. E foi aí que percebi que minha gota de afeto só será suficiente para quem já é um oceano de amor!

________

Direitos autorais da imagem de capa: racorn / 123RF Imagens


Lembre-se: o tempo não é nosso, e sim, de Deus.

Artigo Anterior

O desejo de encontrar um significado…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.