Moça, eu conheço a sua angústia

Moça, eu sei que não está bem, em seu peito falta espaço para armazenar tanta angústia. Não era essa vida que você queria viver, não é mesmo?

Você se deixou de lado, anda perdida em meio a tanta tristeza e frustração. Por onde anda aquele sorriso tão bonito? Quem o roubou de você? Foi essa pessoa que você imaginou que seria um grande parceiro, não é?

Sei que já viraram rotina as suas crises de choro embaixo do chuveiro.  Você evita se olhar no espelho, e isso era algo que fazia com muita espontaneidade e prazer. Já não se sente bonita porque ouve, constantemente, do seu parceiro, críticas sobre a sua aparência e jeito de ser, e, infelizmente, você acata tudo como verdade. A sua autoestima é sepultada a cada dia nesse relacionamento.

Você foi se anulando, cedendo, abaixando a guarda, negociando o inegociável, e agora, ao que parece, perdeu a si mesma, perdeu a noção do próprio valor.

Sabe, eu só queria, num lampejo de lucidez, que você se percebesse como as pessoas a percebem.

Você é bonita, é inteligente, é agradável, é guerreira, tem bom coração e carrega uma imensa carga de amor para ofertar. Mas esse afeto encontra-se estagnado, feito água empoçada, porque não é possível oferecer algo tão precioso a quem só sabe ferir.

Eu sei que está cansada dessa relação, eu sei que deseja se libertar, voltar para si mesma, mas, sente-se sem força. Talvez, nem acredite mais em amor, ou não se sente mais digna dele porque a imagem que adquiriu de si mesma, nesse relacionamento, é a pior possível.

Eu só quero lembrá-la de que é possível sair dessa masmorra, está bem? Eu já saí de algumas, por isso descrevi como se sente.

Uma hora dessas você se encoraja, ganha um fôlego extra e vai em busca de si mesma. Estarei aqui torcendo por você, sempre.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / Imagens



Deixe seu comentário