ColunistasCrônicas

Moça, sai da sacada.

Moça saia da Sacada. Poema

Moça! Por que seus olhos estão vermelhos? Esteve chorando?



Não moça … não chore. Bem, não chore mais.

Ei, moça, despedaçaram seu coração, e brincaram com sua alma?

Calma, moça, não é o fim! Nunca é o fim, pelo contrário, é sempre um recomeço e um começo!


Moça, eu sei que está sofrendo, e que a dor parece não ter fim! Mas, nem todo crescimento vem sem antes machucar!

Você é tão jovem e cheia de luz! Moça, o mundo tem tanto a lhe oferecer, todas as flores do jardim são suas, em todo amanhecer.

Se hoje encontra na solidão um refúgio, abra seu coração e deixe a insegurança partir.

E aquele,s moça, cujo seu coração machucaram, são almas feridas… assim como a sua, um dia também eles foram feridos, então, perdoe! Você não é igual.


Ah, moça! Cada fio de cabelo que compõem sua beleza é uma história para contar!

E ai daqueles que em algum desses fio tocar!

Terá contas a acertar com o maior de todos os guerreiros já nascidos!

Quantas coisas você passou! Essa prova é só mais uma, para provar a você mesma sua grande força de renascer!


Linda princesa, por acaso você sabia que o seu sorriso é um violino cor de céu, que vibra e canta as canções que te compõem?

Pois é, minha guerreira!

Saia da sacada! Existe um mundo lá fora que a espera.

Pessoas para salvar e amor para esbanjar… e saiba que seu passado não te define! Não tenha medo.


É bela e ingênua, como o olhar de uma criança, a alma que em você habita.

É você, a menina dos olhos de Deus, a princesa guerreira que veio para vencer.

Suas dores, frustrações, lembranças e desespero, partem agora no trem da vida, para nunca mais voltar!

E o que te resta agora é um lindo recomeçar!


Moça, saia daí!

Veja–se como é de verdade, retire suas vendas!

Pois é você, quando está feliz, a mais bela formosura, envolta em ternos e eternos sorrisos sem porquês!

Moça, resgate sua essência.


Reescreva-se! Em um papel de tinta verde … verde como sua vibração…

Não, esse não é o seu fim, mas pode ser o começo da maior de todas as suas histórias de superação!

Então, minha pequena borboleta …

Viaje em seus sonhos, penetre em sua alma, caminhe em seus desejos e conheça seu aconchego, que não depende de ser de alguém, mas sim pertencer somente a si, a Deus e aos seus sonhos!


Ei moça, o fim da linha nem sempre é o fim da estrada!

Saia da sacada, abra suas asas, vista-se de ser você… e venha brincar de viver!

Pois a vida é uma eterna brincadeira, de desafios e aprendizados; venha moça, venha brincar!

Luana Costa – Borboleta Azul.


Mãe – sempre uma artista!

Artigo Anterior

Pratique a gratidão – a gratidão eleva seu nível basal de felicidade!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.