3min. de leitura

Morador de rua criado no lixão entra na Universidade de Harvard

Algumas histórias tocam os nossos corações e nos mostram que não importa nossa situação de vida atual, sempre podemos crescer, evoluir e conquistar grandes vitórias. Nada está realmente fora de nosso alcance, e o quão longe vamos na vida, muitas vezes, só depende do quanto estamos dispostos a abraçar as bênçãos que aparecem em nossos caminhos.



Hoje, contamos a história de um menino que provou que uma infância difícil não é impedimento para um futuro bem-sucedido e feliz. Justus Uwayesu nasceu no país africano Ruanda e sempre enfrentou muitas dificuldades para sobreviver.

morador de rua criado3

Fonte: The New York Times

Em 1994, o país enfrentou um grande genocídio, e nesse período Justus perdeu o pai e a mãe, e vivia a maior parte do tempo sozinho. Aos 8 anos, o menino já tinha vagado mais de 100 quilômetros e acabou vivendo em um carro incendiado sem janelas, no lixão da capital de Ruanda, Kigali.

Era um período de muitas dificuldades e incertezas, e o jovem menino não sabia se poderia sobreviver até o próximo dia.No entanto, o universo tinha outros planos para ele, e em um domingo, ele recebeu a notícia que transformou sua vida.

Uma voluntária americana chamada Clare Effiong apareceu por lá e com a ajuda de um intérprete conversou com Justus e as demais crianças do lugar. Ela questionou-as sobre “o que queriam”, e ouviu as respostas comuns de crianças, como roupas, brinquedos, dinheiro, mas a respostas de Justus foi surpreendente. Ele disse que o que mais queria era ir para a escola.


Desse dia em diante, a vida dele se transformou completamente! Clare financiou os estudos de Justus, que se formou no colegial já falando 5 idiomas, apesar de o seu grande foco ser exatas, especificamente matemática e química.

morador de rua criado2

Fonte: The New York Times

Atualmente, Justus conseguiu uma bolsa de estudos na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, uma das universidades mais desejadas por alunos do mundo inteiro. Esse foi o resultado de 13 anos de muito estudo e dedicação.

O menino, que hoje é um homem, nunca deixou de ajudar o próximo. Ele trabalha com projetos de caridade e abriu uma escola de culinária para meninas.


Uma linda história e grande exemplo para todos nós!

Se você gostou, deixe um comentário abaixo e compartilhe o artigo!


Direitos autorais da imagem de capa e demais imagens usadas no texto: The New York Times

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.