Pessoas inspiradoras

Morador de rua presenteia mulher desconhecida com rosa: “A senhora é muito parecida com minha mãe”

Em um relato, a mulher contou sobre a surpresa que recebeu do homem enquanto estava no trânsito.



As pessoas em situação de rua convivem diariamente com muitos desafios. A falta de um teto seguro sob o qual dormir, de oportunidade e perspectiva sobre os próximos dias, além da dependência da gentileza alheia para se alimentar são alguns deles. No entanto, uma das coisas que mais lhes dói, certamente, são os olhares de julgamento e preconceito de muitos que cruzam seu caminho.

Existe uma ideia formada na mente de muitas pessoas de que aqueles que moram nas ruas são desvirtuados, ligados a “coisas erradas” e que não souberam aproveitar as coisas boas que a vida colocou em seu caminho. Essas pessoas olham para os menos afortunados com um ar de superioridade, esquecendo-se de que elas têm as próprias jornadas e podem ter passado por problemas que nem imaginam, que as colocaram naquela situação.

Esse tipo de conceito, muitas vezes infundado, é transmitido de pai para filho e, em diversas ocasiões, faz com que os sem-teto acabem se tornando “invisíveis” e que sua presença apenas seja notada na hora de lhes negar algum pedido ou de criticar sua condição.


No entanto, essas pessoas podem nos surpreender com a bondade de seu coração, apesar de todos os problemas e maldade que enfrentam.

Marlidarci Rosaria, uma professora de 57 anos, que vive em Guarujá (SP), compartilhou um relato em seu perfil no Facebook que retrata isso. Segundo informações do Costa Norte, ela contou que viveu um momento emocionante na véspera do Dia das Mães, enquanto estava no trânsito.

Em determinado momento, Marlidarci foi abordada por um jovem morador de rua, que batia na janela de seu carro insistentemente. Assim como a maioria de nós, ela já tinha se preparado para dizer-lhe que não tinha dinheiro. No entanto, teve uma grande surpresa ao abaixar o vidro.

O jovem lhe disse que não queria dinheiro, mas presenteá-la com uma rosa feita de bananeira. Ele lhe disse que estava nas ruas havia muito tempo e que ela era muito parecida com sua mãe. Então, como o dia seguinte seria o Dia das Mães, ele resolveu entregar-lhe aquela lembrança.


O gesto de amor e carinho do jovem tocou o coração de Marlidarci, que disse ter pensado nele o dia todo, e fez uma reflexão sobre as pessoas que vivem nas ruas. Ela disse que elas são “invisíveis” e que nós não temos consciência de tudo o que passam ou sofrem.

Esse é um caso que nos faz pensar sobre como tratamos essas pessoas e nos convida a ter mais empatia e respeito por elas, pois podem ter uma humildade única e serem muito amorosas.

Você já teve alguma experiência similar?

Comente abaixo e compartilhe o texto nas redes sociais!


Marido pede divórcio porque a mulher “não lava roupas e não cozinha”

Artigo Anterior

Policial herói enfrentou água gelada para salvar cão preso em canal. Cuidou dele com amor!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.