Animais

Morador de rua sorri para o seu cãozinho após abrigo os acolherem em noite fria

A foto de um morador de rua deitado sorrindo para o seu companheiro cachorro após serem acolhidos em um abrigo comunitário tem encantado as redes sociais nas últimas semanas.



Recentemente, o idoso Don José e o seu companheiro canino Rubio, foram acolhidos em um abrigo na Cidade do Leste, no Paraguai, para se protegerem do frio. E a história de amizade dos dois tornou-se inspiração para os voluntários do local.

Os cães são os melhores amigos dos homens e, a cada relato que escrevemos aqui, é provado isso. No relacionamento de amizade entre Don José e Rubio, a lealdade de ambos é tamanha que é impossível não se convencer de que realmente os cães são especiais.

Segundo o La Nación, o morador de rua procura recicláveis para vender e assim ganhar um trocado para os dois se alimentarem e sobreviverem. E nesses últimos dias, durante a sua jornada, o homem se deparou com um grupo de voluntários que lhe ofereceram ajuda para se abrigar nas noites frias desse inverno.


Contudo, o homem rejeitou a ajuda, pois acreditou que o lugar para o qual o encaminhariam não aceitariam o seu cãozinho. Por sorte, ele estava enganado. O local aceitou o seu amigo e, juntos, puderam partilhar de uma noite quentinha ao lado de outros moradores de rua.

Os dois puderam deitar-se em um colchão com cobertas fofinhas e se aconchegarem na companhia um do outro. Mas o cachorrinho, mesmo acolhido, permanecia em alerta, observando tudo ao seu redor. Queridinho!

“Aquele cachorro não fala, mas é muito inteligente. Nem por um momento abandona o dono, nem o homem abandona o cachorrinho, são muito amigos. Dom José está apaixonado pelo cachorro, os funcionários vestem Rubio e depois quando os vi ir para a cama tirei uma foto deles lado a lado”, disse Sonia Barrios, diretora de Desenvolvimento Social.

No dia seguinte, os dois – revigorados com a bela noite de sono – partiram, mesmo sendo avisados de que poderiam permanecer o tempo que quisessem. Mas o homem afirmou que trabalhar faz parte de sua vida e é uma forma de distrair-se junto ao seu fiel amigo.


Rayssa Leal, a “fadinha” das Olimpíadas, já presenteou crianças que vivem perto do lixão, em sua cidade

Artigo Anterior

Brasileiro que estudou nos EUA após doações foi premiado como um dos maiores inovadores do mundo!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.