Comportamento

Morador é notificado por tomar sol de sunga em condomínio; síndica cita “moralidade, decência e respeito”

capa site Morador e notificado por tomar sol de sunga em condominio sindica cita moralidade decencia e respeito

Caso aconteceu em Guará, no Distrito Federal, depois que homem tomou sol no gramado do condomínio usando roupa de banho.

A convivência em espaços comunitários requer o seguimento de uma série de regras e convenções naturais à socialização. Cumprimentar vizinhos, saber como conversar com os indivíduos da sociedade, seguir certos códigos de conduta, por exemplo, respeitar os mais velhos, ajudar pessoas em dificuldade, entre outros.

Para isso, inúmeros espaços adotam regras próprias — sempre baseadas na legislação municipal, estadual e federal vigente — e normas, tendo em vista qualquer ação que possa sair do controle. Nem sempre essas regras são aprovadas por todos e, muitas vezes, acabam até ferindo algumas leis.

Não é de hoje que os condomínios demonstram sucessivas infrações, tanto dos moradores, quanto da administração. No Distrito Federal, em Guará, um caso tem chamado a atenção de internautas e da população: um homem recebeu uma notificação do prédio onde mora por tomar sol no gramado, usando sunga.

Segundo reportagem do G1, que teve acesso ao documento recebido pelo morador, ele deveria observar a “mais rigorosa moralidade, decência e respeito”, o que não teria acontecido na ocasião em que tomou banho de sol. Tudo aconteceu dia 24 deste mês, no Residencial Istambul, cuja síndica Katiuscia Brandão informou que o morador recebeu a notificação por escrito.

2 Morador e notificado por tomar sol de sunga em condominio sindica cita moralidade decencia e respeito

Direitos autorais: Reprodução/ Arquivo pessoal

Ser notificado do ato infracional é uma determinação do próprio regimento interno do residencial, e a síndica informou que agiu conforme determinação já oficializada e acatada pelos moradores. Para aqueles que acreditam que o posicionamento de Katiuscia foi “exagerado”, ela explica que apenas registrou a notificação porque existiu reclamação de condômino que não gostou da cena.

Segundo a notificação acima, o morador, que não foi identificado, estava tomando sol no gramado do estacionamento de seu condomínio, usando um traje de banho comum para os homens, uma sunga. Uma moradora teria passado no local na mesma hora e abordado o rapaz, que lhe teria afirmado que fazia aquilo com frequência, hábito no qual não via problema algum.

Katiuscia explica que não é permitido usar sunga nas áreas de uso comum do condomínio, como o estacionamento, de acordo com o próprio regimento interno. Por se tratar de um prédio sem área de lazer, não existem espaços destinados a esse fim, e a síndica informa que o estacionamento não seria um lugar adequado para a prática.

Como uma moradora se “incomodou” com o que presenciou, registrando uma reclamação oficial na administração, Katiuscia, como síndica, alegou ter a obrigação de conduzir a situação justamente dessa forma. Mas na notificação recebida pelo morador, que cita trecho do regimento interno, é reiterada a proibição de “praticar atos, violências ou tomar atitudes que deponham contra o decoro, os costumes ou o bom nome do edifício”.

Mesmo assim, não é reforçada ou explorada a questão dos trajes de banho, sendo que apenas “costumes” são citados no documento. A norma ainda registra que o morador será notificado apenas uma vez por escrito e, caso não cumpra o exigido, pode receber multa, como previsto no próprio regimento.

A síndica ainda explicou que o morador em momento algum foi obrigado a sair do local, nem mesmo convidado a isso, e teria recebido a notificação apenas no dia seguinte, orientando-o a não praticar tal ato mais, incomodando outros moradores.

Nas redes sociais, os internautas ficaram divididos nas opiniões. Enquanto alguns defenderam que, pelo valor do condomínio, deveria usufruir dos espaços; outros acreditam que o morador errou, já que estava previsto no regimento interno e ainda incomodou uma vizinha.

0 %