Morar sozinha: aprendizados

Quando comecei a morar sozinha, ainda meus pais me enviavam dinheiro e faziam toda parte burocrática, assim conseguiria somente estudar. E isso durou um bom tempo.

Morar sozinha mesmo, acredito ter sido início deste ano. Trabalhando, observando como as pessoas agem e como eu faço as coisas.

Algumas situações a compartilhar:

Estar realmente sozinha: eu não sei vocês, mas eu amo minha companhia. Não é que não precise de ninguém. É que eu já me proporciono companhia e alegria numa boa. Isso muitos não entendem. Daí pareço uma antissocial. Mas sei lá, por uma música para tocar e ficar dançando no meio da sala, sem julgamentos. Até limpar a casa é uma maravilha!


Celular: nesses casos ele me conectou com todos que desejava. E me conecta com vocês também! Estudo, estudo muito por meios de comunicação. É onde vejo “graça”. Meio nerd, né? Mas fazer algo que a gente realmente curta, que beneficia algum ser humano, é sagrado. Inclusive YouTube com as receitas para nova adepta ao vegetarianismo. Isso fica para outro texto. Como eu sempre digo, a tecnologia veio para potencializar o que cada um tem dentro de si mesmo!


Alimentação: bom, eu tinha café da manhã e almoço durante dias da semana no trabalho. Mas após eu me mudar “novamente”, tive que focar mais o que iria ressaltar: prestaria mais atenção em instintos, fugas ou realmente comer o necessário! TEM diferença! Hoje em dia come-se mais do que o necessário para o vazio ser preenchido. Vai para outro texto isso também.


Relacionamento à distância: esse tópico cada um também terá uma opinião e vale de acordo com projeção de si mesmo. Para mim, foi uma etapa de muito crescimento e curti tanto a saudade, quanto a criatividade também foi muito exigida. Uma fase interessante, se soubermos aproveitar, pensando no bem-estar e respeito de ambos.


Reuniões sociais: com estudos e mudança de paradigmas, tive várias mudanças. Uma drástica foram os grupos de amigos, e de vários houve natural afastamento. São momentos e experiências. E outros novos amigos vieram. É engraçado como a vida “envia” pessoas que têm os mesmos ou semelhantes objetivos que os nossos.


Lar: fiz de todos os lugares que morei locais de muito respeito. Foram costumes tanto de deixar os calçados na entrada, quanto ter plantas e flores, ficar mais tempo na sala que no quarto e deixar minha ainda pequena coleção de livros estrategicamente posicionados na sala. Até hoje no apartamento que estou é assim. E de fácil acesso quem quiser estudar. Já em relação à limpeza e organização, às vezes dava aquela preguiça. Mas caso não consiga fazer isso por si mesmo, faça como se fosse para o deus do seu coração ou para pessoa que você ama. Dá certo!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / dotshock



Deixe seu comentário