Comportamento

Ygona Moura, que estava internada, morre por complicações da covid-19

capaygona Moura que estava internada morre por complicacoes da Covid 19

Nas redes sociais, a mãe de Ygona havia pedido orações pela filha. Saiba mais!



Mais uma vítima da covid-19. A influencer trans Ygona Moura, de 23 anos, veio a óbito na última quarta-feira (27), conforme publicado em seu perfil no Instagram.

Ygona estava internada na UTI, em coma induzido, havia dez dias, em um hospital de São Paulo.

Quando a influencer foi hospitalizada, sua mãe, que cuidava de suas redes sociais, postou fotos da filha pedindo oração a todos os que se importavam com ela.


2ygona Moura que estava internada morre por complicacoes da Covid 19

Direitos autorais: reprodução Instagram/@ygona.mouraa.

Um pouco antes da confirmação da morte de Ygona, seus familiares postaram uma atualização sobre seu estado nos stories da rede social. Eles disseram que ela ainda se encontrava intubada e em coma, mas com um quadro estável.

Segundo a assessoria de imprensa da jovem, ela faleceu na noite de quarta-feira (27) e o enterro acontecerá em São Paulo.

Carreira na internet


Ygona conta com mais 90 mil seguidores em seu perfil no Instagram e se intitulava a “rainha dos memes”. Seu maior público era LGBTQIA+.

Seus vídeos costumavam viralizar nas redes sociais. Num dos mais famosos, ela relata sua vista ao chegar ao Rio de Janeiro:

 

Com a pandemia, Ygona começou a tornar-se mais conhecida, não necessariamente de maneira positiva. Ela constantemente “zombava” da realidade vivida no país e divulgou diversos vídeos em que falava que gostava de “aglomerar” e que estava procurando mais oportunidades de estar no meio das pessoas.


Em um desses vídeos, gravado dias antes de ela ser internada, Ygona disse que “aglomerou mesmo” e que foi bem paga para isso. Ainda acrescentou que estava com saudade de aglomerar:

 




Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Tudo sobre celebridades! 😎 (@tudosobrecelebs)

Segundo publicado em matéria do UOL, a influencer disse em entrevista ao National Geographic Brasil que se assumiu gay aos 16 anos e se identificou como mulher trans aos 20.

Ela viveu por um tempo num projeto da prefeitura de São Paulo, que acolhe travestis e mulheres transexuais, chamado Casa Florescer.

Nas redes sociais, as reações à internação e morte da influencer são as mais diversas. Enquanto muitas pessoas acreditam que ela não merecia ter morrido dessa forma, e pedem respeito e empatia, especialmente à sua família, outras dizem que sua morte foi uma consequência da falta de respeito e consideração com a pandemia no país, e esperam que ela sirva de exemplo.

Qual sua opinião sobre isso?

Comente abaixo e compartilhe o texto nas redes sociais!

Johnson&Johnson afirma que poderá disponibilizar vacinas contra covid-19 ao Brasil

Artigo Anterior

Vovô leva seu cão velhinho ao veterinário em carrinho de bebê. Uma amizade sem limite de idade!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.