Notícias

Morre Jorge Picciani, ex-presidente da Alerj, que tratava câncer

Direitos autorais: Reprodução
121231

Picciani estava internado em um hospital em São Paulo.

O ex-deputado estadual Jorge Picciani, de 66 anos, morreu na madrugada do último dia 14 de maio em São Paulo. Ele estava internado no Hospital Vila Nova Star desde o dia 8 de abril, para o tratamento de um câncer na bexiga.

Segundo informações do G1, Picciani Foi aliado do ex-governador Sérgio Cabral e esteve entre um dos investigados pela Lava Jato, por corrupção. Ele também foi ex-presidente da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro). Picciani era casado e tinha 5 filhos, dois dele com carreira política.

Formado em contabilidade pela UERJ e em estatística pela Escola Nacional de Estatística, o político teve 6 mandatos como deputado estadual, e passou por todos os cargos importantes do Legislativo, até ser eleito, presidente da Alerj , onde permaneceu 4 por mandatos consecutivos, de 2003-2010. Em 2015, após quatro anos afastado, voltou a ocupar o cargo.

Ele é autor da lei que garantiu vagões exclusivos para mulheres na hora do rush em trens e no metrô do Rio, e também da Comissão de Ética da Alerj – que levou à cassação quatro deputados.

Entre 2011 e 2014, Picciani presidiu o PMDB-RJ. Ele também era também era pecuarista e desde o início dos anos 90 se dedicava à reprodução assistida de gado.

Picciani foi alvo grandes operações contra a corrupção na Alerj. Em novembro de 2017, a Operação Cadeia Velha prendeu o então presidente da Casa, além dos deputados Paulo Mello e Edson Albertassi.

Um ano depois, já em prisão domiciliar, Picciani, além de outros nove parlamentares foi alvo da Furna da Onça, sobre o recebimento de propinas e de cargos para votar de acordo com o interesse do governo.

Em 2019, o político também foi condenado há 21 anos de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 2ª região.

André Ceciliano (PT), que preside a Alerj atualmente, ofereceu a Casa para o velório e afirmou que vai que vai declarar luto oficial por três dias. Confira a nota oficial da Alerj abaixo:

“A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro lamenta profundamente a morte do ex-deputado e ex-presidente da Casa, Jorge Picciani. A Casa foi informada oficialmente do falecimento no início da manhã de hoje pela família de Picciani, que presidiu a Alerj por três mandatos. O presidente da Casa, André Ceciliano, ofereceu as instalações do Salão Getúlio Vargas para o velório, que deve acontecer no inicio da noite desta sexta-feira. A Casa irá decretar luto oficial de três dias”.