4min. de leitura

Mudar o caminho: um degrau por dia, um dia de cada vez.

Você já se pegou dirigindo para casa quando pretendia ir antes ao mercado? Pois é, isso é muito comum e prova como estamos condicionados a fazer sempre o mesmo caminho.

Nesse momento você pode ter se lembrado que escova os dentes sempre com a mesma mão, e nunca pensou em usar a outra, faz sempre o mesmo caminho para ir ao trabalho porque vai no automático, acorda sempre do mesmo lado porque é mais confortável, reclama sempre das mesmas coisas porque elas não mudam e assim por diante.


Se levarmos esse raciocínio para a vida familiar, vamos perceber que fazemos sempre a mesma coisa, e talvez nunca tenhamos parado para pensar no motivo da nossa atitude. Simplesmente fazemos.

E se ampliarmos para nosso grupo de amigos, bairro, trabalho, sociedade vamos descobrir o quanto esse caminho de fazer sempre igual está incutido em nosso ser.

Numa pesquisa realizada com animais e homens ao mesmo tempo, nós fomos os únicos animais que, quando soltos num labirinto, após não encontrarmos uma recompensa em certo local, continuávamos a percorrer o mesmo caminho, enquanto outros animais “sem inteligência” procuravam outras alternativas.

Ok, para algumas coisas a rotina é necessária, pois funcionamos assim, mas quando TUDO vira rotina, aí ela se torna prejudicial para nossa vida. E agora que entendeu o raciocínio eu pergunto: o que fazer para sair desse labirinto e conseguir um resultado melhor?


Vamos supor que você está num relacionamento desgastado, onde sempre acontecem as mesmas coisas, você vai suportando, suportando, até emergirem sempre os mesmos problemas nas discussões. Você está cansado e não vê saída, e muitas vezes acha que a única solução é mudar de parceiro. E vamos supor que você mude de parceiro, e certo tempo depois o problema aparece novamente, agora com outra “cara”, mas o mesmo problema.

E agora? A “culpa” é de quem? Do novo parceiro?


Sugiro que você se pergunte: o que eu preciso aprender com essa situação?

Vamos supor que você está cansado do seu trabalho, ganha pouco, faz sempre a mesma coisa, e está esgotado fisicamente por passar 4 horas do seu dia no trânsito.

Novamente, sugiro que você se pergunte: que atividade eu tenho prazer em fazer até mesmo gratuitamente? Como posso entrar em flow (um fluxo contínuo, quando perdemos a noção de tempo e espaço)?

O que quero deixar como mensagem pra você, e para mim que também sou um animal racional, é que da mesma forma que estamos numa situação agora, podemos escolher uma outra alternativa no momento em que agirmos para isso. Algo que sempre devemos nos perguntar é: o que o Universo quer me mostrar?

Um degrau por dia, um dia de cada vez, você vai descobrir quais escolhas são importantes e devem ser feitas conscientemente por você.

Um beijo e até semana que vem!

Simoni Venturini

_____________

Direitos autorais da imagem de capa: arthurhidden / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.