6min. de leitura

MUDE AGORA, por dentro e por fora: sua saúde agradece!

Se todos os dias nossas células se renovam porque não conseguimos mudar comportamentos indesejados?

Uma das razões é porque não cultivamos crenças e hábitos adequados, outra, é que não cuidamos da caixa mágica que comanda as mudanças de comportamento: o nosso cérebro.


Nosso equilíbrio, felicidade e saúde, dependem da intensidade dos cuidados com a dupla, cérebro e corpo. Pesquisas recentes mostram que fatores como boa saúde física e atividade intelectual elevada protegem o cérebro do avanço da doença e do tempo. À medida que o tempo passa, atribuímos a deterioração mental ao envelhecimento, mas as pessoas se queixam, cada vez mais cedo, de perda de memória, de dificuldade de atenção e de dificuldade cognitiva.

No livro “Deixe seu Cérebro em Forma”, os autores Corinne e Crinella citam um conto de fadas moderno:

Imagine a Bela Adormecida e o Príncipe Encantado na meia-idade. Exibem os efeitos de uma discreta cirurgia plástica, adotam uma dieta com poucas calorias, frequentam SPAS com regularidade e praticam pilates. Verificam o bom e o mau colesterol todo o ano, tomam um cálice de vinho tinto por dia e se submetem a massagens de vez em quando. Envelhecer bem é alta prioridade, e eles compreendem a importância de um estilo de vida saudável.


Todas as manhãs fazem ao espelho mágico a célebre pergunta (com um toque do século XXI): – Espelho, espelho na parede, existe no mundo um casal mais sarado do que este?

O espelho responde: – Gente, vocês estão com uma aparência impressionante mesmo, mas posso sugerir uma PET, ou tomografia por emissão de pósitrons, para verificar o envelhecimento do seu cérebro? Afinal, de que adianta um corpo atraente e em forma se vocês não vão estar mentalmente presentes para aproveitá-lo, não é verdade?


Pela alegria, pelo bom humor, pela mudança de comportamento.

Moral da história: não se esqueça de inserir a forma física do cérebro em sua estratégia de vida, pois é ele o responsável pelo nosso desempenho, pela criatividade, pela alegria, pelo bom humor, pela mudança de comportamento… Por tudo.

O cérebro progride com novidades, por isso, precisamos evitar permanecer rígido em crenças e valores, que um dia nos foram ensinados, como se fossem eternamente nossos, pois, na maior parte das vezes, não nos pertencem, bem como, podem ser descartáveis ao longo da nossa existência. Quanto mais conseguirmos identificar o que aprendemos, e descartar, libertar ou mudar aquilo que não nos serve, mais estaremos perto de quem verdadeiramente somos. É preciso exercitar a flexibilidade, estar aberto a novos valores, deixar fluir sentimentos e tudo aquilo que está dentro de nós, com naturalidade.

Precisamos compreender que as coisas na nossa vida são dinâmicas e fluidas. Quando estamos felizes, acabamos bloqueando a felicidade, pois precisamos eternizar esse momento. Ficamos apreensivos, com medo de que o prazer acabe. Quando estamos nos sentindo mal, infelizes, interpretamos como se o nosso sofrimento não fosse ter fim, o que só amplia a dor. O ser humano tem uma dificuldade de se sentir satisfeito por momentos, a busca da “eterna felicidade” é uma constante.

Precisamos, então, saber quais são nossas reais crenças, pois, por vezes, podemos confundir crenças com expectativas.

Qual a diferença entre crença e expectativa?

Vamos a um exemplo prático: Acredito que existem pessoas sinceras. Tenho, então, uma crença. Ao pensar que as pessoas deveriam ser mais sinceras, tenho uma expectativa. Outro exemplo: Trato os demais bem, porque acredito que isso faz bem aos demais e, principalmente, a mim. Isso é uma crença. Trato os demais bem, pois espero que me tratem bem em troca, isto é uma expectativa. Vale a pena ressaltar que, quando temos muitas expectativas, alimentamos nossos fantasmas, nossos medos, nossas “nóias”, enquanto que, se diminuímos drasticamente as expectativas na nossa vida, nutrimos, com êxito, nosso padrão comportamental melhor, que nos leva a excelência e ao sucesso.

Moral da história: rejeite sempre qualquer crença que o mantenha triste ou infeliz. Se elas não ajudam, são problemas e todos os problemas devem ser eliminados, precisam de uma solução.

No seu livro “Siga seu Coração”, Andrew Matthews diz com propriedade: “cada desastre em sua vida não é exatamente um desastre, mas uma situação à espera de uma nova maneira de pensar”.

Precisamos constantemente nos repensar, para sermos mais felizes e para nos realizarmos através de um desempenho que nos leve ao sucesso.

Abraço carinhoso!
Isabel





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.