Comportamento

“Muita pele”: mulher denuncia professora que a mandou sair de academia por usar roupa curta

A jovem relatou nas redes sociais o incidente que aconteceu enquanto malhava numa academia de Sydney, na Austrália. Entenda!



A academia é um lugar exclusivamente destinado a trabalhar a saúde do corpo. Por conta disso, é comum muitas pessoas que frequentam esses lugares usarem roupas mais confortáveis, frescas e justas, já que costumam suar muito, e esse tipo de traje ajuda a realizar os movimentos com maior liberdade.

Para muitos de nós, que treinamos em academias ou mesmo ao ar livre, a escolha das roupas com menos tecido é algo natural, contra o qual não enxergamos nenhum tipo de problema. Entretanto, para outras pessoas, as vestes que os outros escolhem usar nesse tipo de ambiente é algo problemático e dá origem a situações de desconforto.

A canadense de 27 anos Gabi Goddard, que vive em Sydney, compartilhou recentemente em suas redes sociais um episódio que protagonizou na academia onde treina diariamente.


A jovem contou que um dia, enquanto malhava, foi abordada por uma professora, cujos alunos frequentam o local, pedindo para ela ir para casa trocar de roupa.

Gabi, que estava vestindo um top preto e um short usado para pedaladas, disse que ficou espantada com o pedido da mulher, e quis saber o porquê do pedido, ouvindo como resposta que adolescentes frequentavam o lugar e que ela se preocupava com eles vendo “tanta pele”.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@gabigoddard.

Ela compartilhou o relato com os seguidores, dizendo que aquele dia estava quente e na academia não havia ar condicionado. Gabi ainda disse que fez uma denúncia para a escola em que a professora trabalhava, dizendo que o seu comportamento era “inadequado”.


Nos prints da denúncia, a mulher disse que ficou “horrorizada” com o fato de a escola pensar que tem influência sobre a escolha de roupas e “liberdade de se exercitar de uma mulher adulta independente”.

Acrescentou que dessa maneira a escola está perpetuando valores prejudiciais de que meninos de 14 anos “têm prioridade sobre as mulheres”, e onde as mulheres são “punidas pela propensão dos meninos e dos homens de objetificá-las”.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@gabigoddard.

Segundo o The Sun, a jovem ainda disse que seu traje não violava códigos de vestimenta e que já usou a mesma roupa antes em outras academias, sem receber reclamações. O caso da jovem viralizou e provocou a indignação de muitas mulheres.


Não se sabe se a denúncia de Gabi foi respondida, mas ela mudou de academia e continua praticando suas atividades físicas.

O que você pensa dessa situação? Viu algum problema com a roupa da jovem?

Comente abaixo e não deixe de compartilhar o texto nas redes sociais!


Menino de 12 anos arrecada dinheiro com venda de crochê e constrói biblioteca na Etiópia!

Artigo Anterior

Pai solteiro gasta do pouco dinheiro que tem levando as filhas para comer. Quer vê-las felizes!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.