4min. de leitura

Muitas vezes, as crianças perdem-se dentro de casa, e não nas ruas…

Muitas vezes, as pessoas que julgamos como “perdidas”, não se perderam nas ruas, depois de grandes. Isso pode ter começado logo nos primeiros anos de sua vida, na infância.

Pais ausentes ou sempre muito ocupados para darem atenção aos seus filhos podem contribuir grandemente para essa situação, pois não dão atenção aos sentimentos dos seus filhos e falham em educar e orientá-los.


É claro que não podemos generalizar. É possível que as pessoas “se percam” em ambientes familiares saudáveis e respeitosos e também é possível que alguém cresça “bem” em famílias disfuncionais.

Por mais que todos nós, enquanto sociedade, sejamos responsáveis pela criação das crianças, é a família que tem maior influência sobre o cérebro e emoções delas, quais valores elas nutrirão em suas vidas.


Como os pais influenciam a criação de crianças difíceis

Todos nós conhecemos pelo menos uma criança ou adolescente difícil, que age com maldade ou tirania, recusando-se a assumir a responsabilidade por seus próprios atos e a respeitar outras pessoas. O que precisamos compreender sobre esse assunto é que esse tipo de comportamento sempre existiu, não foi causado pela internet, por jogos, ou pela escola.


As atitudes negativas dessas crianças/adolescentes são causadas pelas mesmas necessidades e ausências que sempre existiram, mas que estão incorporadas em novos contextos. Esse é um grande motivo pelo qual não devemos colocar a infância ou adolescência como a verdadeira fonte do problema. Devemos, no entanto, assumir nossa responsabilidade enquanto partes da sociedade e entender que criar um ambiente saudável para as crianças é vital, porque elas são o futuro do nosso mundo.


O que constrói uma educação de qualidade

Os pais, em seu esforço para dar um boa criação e educação para seus filhos, muitas vezes demonstram o seu amor de maneira equivocada.

Amar nossos filhos é educá-los para se tornarem pessoas sábias e altruístas. É guiá-los no caminho do bem e da responsabilidade, é fazê-los entender que ouvir um “não”, não é o fim do mundo, que pode ser um sinal de amor e cuidado.


Uma educação de qualidade não existe sem paciência. Os questionamentos, dúvidas, necessidades de estímulos e conversas não têm horário definido, e exige que os pais estejam sempre dispostos a darem o melhor de si.

Tempo de qualidade também é um fator ideal em nossos relacionamentos com nossos filhos. Por mais que em nosso mundo atual, tenhamos cada vez mais responsabilidades e menos tempo livre, é fundamental dedicarmos tempo para estarmos ao seu lado.

Os pais que fazem o seu papel na vida dos filhos, cuidando, orientando e educando criam uma boa semente no coração de seus filhos, dando-lhes um bom motivo para não “se perderem” nas ruas da vida.


Direitos autorais da imagem de capa licenciadapara o site O Segredo:  lufimorgan / 123RF Banco de Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.