4min. de leitura

Mulher abandona tudo e abre hospital para crianças órfãs, no Quênia

O amor e a dedicação ao próximo são os princípios fundamentais para a vida de qualquer pessoa bem-sucedida e feliz, mas alguns de nós levam essas características ainda mais a sério.


Essas pessoas fazem da gentileza e da empatia a sua missão de vida, e a cada dia ajudam a mudar o mundo.

Elas pessoas estão espalhadas pelo mundo e a sua diferença para a maioria de nós é que estão dispostas a abrir mão do próprio luxo e conforto para trabalhar por um mundo de mais igualdade.

Você provavelmente já conheceu alguém ou viu alguma notícia sobre uma dessas pessoas, e sentiu conforto e alegria de saber que ainda existe bondade no mundo.


Hoje contaremos a história de uma dessas pessoas. Amy Hehe, uma jovem norte-americana, impressionou pessoas do mundo todo ao escolher um caminho muito particular para a própria vida. Diferentemente da maioria das pessoas de sua idade, seu sonho não era ter um emprego que pagasse muito bem, um carro ou até mesmo morar sozinha, mas de ajudar pessoas em necessidade, por isso, estudou muito e se dedicou a abrir um centro médico para crianças órfãs com doenças terminais, no Quênia.

O desejo de ajudar essas crianças foi se desenvolvendo conforme a jovem descobria as dificuldades que os pequenos enfrentam para sobreviver em instituições que quase sempre estão lotadas e muitas vezes não são bem equipadas.


Hora de arregaçar as mangas!

Amy sentiu que precisava fazer alguma coisa para transformar essa realidade e ali descobriu a sua verdadeira missão. Aos 13 anos, ela sonhava em construir um hospital para apoiar as crianças e, seis anos depois, seu sonho se realizou: em companhia do marido Rob, fundou o Hospital Infantil OVI, sem fins lucrativos.

Amy formou-se no Programa de Assistência Médica da Universidade de Kentucky e foi embora para o Quênia, onde ajuda a tratar de pacientes que lutam contra a desnutrição, malária, ferimentos, câncer e HIV.

“Embora esta vida seja o meu sonho e minha paixão, serei a primeira a dizer que não é fácil”, disse a jovem ao Love What Matters.

No Quênia, Amy não tem a melhor qualidade de vida possível, mas tem alegria e sentimento de dever cumprido, porque graças a ela os pequenos quenianos têm alguém que se preocupa com eles e com sua saúde. Apesar das dificuldades que enfrenta todos os dias, ela recebe o amor e a gratidão de todas as crianças que ajuda a mudar de vida.

Esse é um exemplo inspirador. Todos nós temos um propósito na vida mas, muitas vezes, escolhemos ignorá-lo pelas mais diversas razões. Se você é uma dessas pessoas, não ignore o seu propósito, não desista, porque você pode ajudar outras pessoas e, ao mesmo tempo, encontrar a própria felicidade, assim como Amy!

Compartilhe este artigo com seus amigos e comente abaixo o que você já fez pelo bem do outro!

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: divulgação.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.