Comportamento

Mãe dá à luz na praia sem ajuda médica e é criticada: “Colocou seu bebê em risco”

Foto: Reprodução
capa josy

A história gerou polêmica nas redes sociais. Entenda!

O parto marca a história das mulheres. Receber os filhos no mundo é o início de uma nova fase de suas vidas, que trará dificuldades e desafios, mas também algumas das maiores alegrias.

Como esse é um momento de muita intensidade e importância para as mães, é comum elas escolherem a maneira como desejam que seus filhos nasçam. Há mães que preferem o ambiente hospitalar tradicional e aquelas que optam por outras soluções, como o parto humanizado, que pode acontecer dentro de casa, com a companhia da família.

No entanto, por mais livre e especial que o parto possa ser, as escolhas de algumas mães podem gerar polêmica e até mesmo indignação. Nos últimos dias, a escolha viral de uma mãe sobre o seu parto tem dado o que falar nas redes sociais.

Josy Peukert, uma alemã de 37 anos, contou no Instagram que ela e o parceiro Benni Cornelius, 42, foram à costa de Playa Majagual, na Nicarágua, onde seu bebê nasceria.

A mulher relatou que o seu primeiro parto, que aconteceu em uma clínica, foi traumático, o segundo aconteceu em casa, mas para receber o novo filho, que é o de número sete com o marido, ela queria algo diferente. Por isso não teve consultas médicas, exames ou influências externas. Segundo a mãe, os médicos e parteiras inibem as coisas que o corpo feminino pode fazer por conta própria, e desejava ter um parto sem preocupações, confiando no seu corpo e no seu bebê.

Sem uma data definida para o nascimento da criança, ela apenas foi monitorando os sinais de seu corpo e também a maré no país da América Central.

Quando Josy percebeu que seu trabalho de parto estava começando, deixou os filhos sob o cuidado de alguns amigos e foi com Benni para a praia, levando um kit de ferramentas de parto, que incluía toalhas, uma tigela com uma peneira para pegar a placenta, gazes e toalhas de papel.

2 Mãe dá à luz na praia sem ajuda médica e é criticada Colocou o seu bebê em risco

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @raggapunzel

Segundo ela, as ondas tinham o mesmo ritmo das contrações, e o fluxo a fez se sentir bem. Após um tempo de trabalho de parto, ela deu à luz o menino Bodhi Amor Ocean Cornelius, em 27 de fevereiro último.

Com o bebê embrulhado em toalhas, o casal voltou para casa. Segundo Josy, o filho é muito calmo e tudo para ele é bom contanto que esteja nos braços da mãe.

A família parece estar muito feliz com a forma como o filho caçula chegou ao mundo, mas nas redes sociais, Josy e o marido não foram tão apoiados assim; várias pessoas questionam se esse tipo de parto é saudável para os bebês.

3 Mãe dá à luz na praia sem ajuda médica e é criticada Colocou o seu bebê em risco

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @raggapunzel

“Isso é higiênico? Há muitas bactérias no mar”, questionou uma pessoa. “Respeito sua decisão, mas me parece um pouco irresponsável, pois você deveria ter pelo menos um profissional ao seu lado”, escreveu outro, e um terceiro ainda disse que os pais estavam colocando a criança em risco.

Respondendo aos críticos, a mulher disse: “Bodhi nasceu no sol do meio-dia, quando fazia cerca de 35 graus, não estávamos preocupados com o fato de ele estar com frio e eu não tinha preocupações com infecções transmitidas pela água. Ele está perfeitamente saudável. Eu fiz toda a pesquisa que eu precisava para ter certeza de que era seguro”.

No entanto, ainda assim restaram dúvidas sobre a segurança desse tipo de parto para os bebês.

4 Mãe dá à luz na praia sem ajuda médica e é criticada Colocou o seu bebê em risco

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @raggapunzel

Parto no mar é seguro?

O site Universa entrou em contato com a ginecologista Ana Carolina Lucia para falar sobre o caso. A médica disse que essa atitude pode apresentar riscos para o bebê e também para a mãe por conta do contato de ambos com a água do mar, que não está livre de micro-organismos, o que pode contaminá-los.

Ana Carolina acrescentou que o bebê pode ser colocado em risco de afogamento, hipotermia com hemorragia neonatal, ruptura do cordão umbilical, encefalopatia hipóxico-isquêmica [por falta de oxigenação no sangue e de perfusão nos tecidos].

Para as mães, o parto vaginal na água do mar também pode levar a lesões genitais, especialmente por causa do sódio em maior concentração no mar e partículas de areia e detritos, resultando em ardor em feridas abertas e lacerações.

A médica ainda explicou que, por mais que no caso de Ana Carolina tudo tenha dado certo, sua atitude não deve ser tomada como bom exemplo por todas as mães, especialmente aquelas que nunca tiveram um parto vaginal, que tiveram gestações de alto risco e que quiserem fazer o procedimento sozinhas ou com acompanhantes sem treinamento específico.

0 %