Notícias

Mulher denuncia invasão de policiais civis a casa onde fazia topless com amigas

Mulheres denunciaram à Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Norte a ação de policiais civis que teriam entrado em uma casa, sem mandado judicial e autorização dos donos, após um vizinho acioná-los dizendo que havia pessoas tomando banho de sol nuas no local.



O caso aconteceu no dia 7 de setembro, após um vizinho, que também teria invadido o local, chamar a Polícia Civil e denunciar as três mulheres que tomavam sol na piscina sem a parte de cima do biquíni – prática conhecida como topless.

O fato gerou repercussão nas redes sociais, após o relato publicado pela produtora audiovisual Marana Torrezani, de 35 anos, que estava no imóvel. Ela registrou o caso na Ouvidoria da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), que abriu uma investigação.

De acordo com o ouvidor-geral, Dimitri Sinedino, foram determinadas diligências para identificação dos agentes públicos envolvidos e para saber como ocorreu a suposta invasão. Em seguida, o caso deverá ser encaminhado à Corregedoria, para abertura de um processo administrativo. Caso a violação seja confirmada, os agentes poderão ser punidos.


“O que a gente não vai deixar é sem apuração. Esse é o tipo de situação que não pode se repetir com absolutamente nenhum cidadão, na casa de ninguém. A constituição já fala que o domicílio é inviolável a não ser em casos de flagrante, o que a gente não entende que seja o caso”, pontuou.

Segundo a Polícia Civil, nenhum boletim de ocorrência foi registrado.

“A Polícia Civil do Rio Grande do Norte informa que, no dia 7 de setembro, a equipe da Delegacia Móvel instalada em São Miguel do Gostoso foi acionada para uma ocorrência em que ocupantes de um imóvel vizinho ao denunciante estavam despidos na área da piscina de uma casa, o que podia ser visualizado do primeiro andar do denunciante. O noticiante informava que dois homens encontravam-se nus em uma propriedade privada, contudo, como o espaço era aberto, a vizinhança podia visualizá-los, ocasião que solicitaram apoio à Polícia. Após comparecimento dos policias, os ocupantes do imóvel atenderam ao pedido da equipe, sendo a ocorrência resolvida no local”, informou em nota.

Sobre a suposta invasão, a Polícia Civil disse que, quando for oficializada denúncia, irá “apurar a conduta de todos. Todavia até a presente data, nada chegou até a Polícia Civil formalmente”.


Invasão

Marana Torrezani contou ao G1 que passava o feriado no município turístico, hospedada em outra casa, mas que estava tomando banho na piscina de amigos quando tudo aconteceu. De acordo com ela, as três amigas estavam tomando banho sem a parte de cima dos biquínis, quando um vizinho que mora na casa da frente – a única com mais de um andar nas redondezas – entrou na casa.

“Já o vimos na área da piscina. Pegou a gente dentro da água. Não sei como ele entrou, acho que o portão não estava trancado. Já apareceu xingando, dizendo que a gente estava fazendo pornografia. As outras meninas correram para se cobrir e eu fiquei de dentro da piscina discutindo com ele, dizendo que ele não poderia entrar assim em uma propriedade privada”, contou.

Segundo ela, apenas uma janela da casa do homem permite a vista do terreno do imóvel onde elas estavam e o grupo não imaginou que houvesse alguém olhando.


Nenhuma das três mulheres eram moradoras da casa. A produtora relatou que, após a invasão, elas contaram o caso para o morador do imóvel, que chegou da rua, e para a outra moradora, que estava dormindo e acordou com a discussão. No entanto, voltaram para a piscina com a dona da casa. Uma das três que estavam inicialmente saiu e não voltou mais para a piscina, por medo.

Cerca de uma hora e meia depois, três agentes da Polícia Civil – dois homens e uma mulher – arrombaram o portão da casa e agiram com brutalidade, segundo Marana. De acordo com ela, eles invadiram inclusive o banheiro onde estaria a primeira mulher que saiu da piscina, mais cedo.

“Gritavam, um deles ameaçou atirar pra cima, prender, mostrou a algema para mim, disse que ia levar a gente para a delegacia. Empurraram nosso amigo, que caiu no chão. Ficamos tentando apaziguar o tempo todo”, afirmou.

Marana contou que não esperava passar por uma experiência como essa no feriado.


“Quando o vizinho invadiu e agrediu a gente verbalmente, eu mesma falei: ‘então chama a polícia’. Porque na minha cabeça a polícia jamais iria reagir dessa forma nesse tipo de ocorrência. Iria bater no portão e perguntar o que estava acontecendo, iria apaziguar os ânimos. Jamais imaginei que seriam tão agressivos com a gente”, acrescentou.

Vídeo

Após a repercussão do caso, um vídeo passou a circular nas redes sociais. Nele, seria possível ver dois homens nus na piscina. A Polícia Civil teria recebido esse vídeo. Questionada sobre o assunto, Marana confirmou que o cenário é o mesmo, mas que as imagens teriam sido registradas em outro dia ou horário.

“É na mesma casa, um amigo aparece no vídeo, mas não é do momento da invasão do vizinho nem da chegada da polícia. Quando eles chegaram estavam só as mulheres. Pode ser de outro dia ou do mesmo dia, mais cedo, porque ele disse que tomou banho de sol por cerca de 20 minutos”, contou.


Pai que matou amigo ao descobrir que ele estuprou sua filha de 8 anos é considerado “herói” e vizinhos pagam advogado

Artigo Anterior

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.