Família

Mulher desabafa sobre voltar a trabalhar 3 meses após o parto: “Eu não estava pronta”

mulher desabafa sobre voltar a trabalhar 3 meses apos o parto Eu nao estava pronta

Em relato bastante sincero, essa mãe compartilhou suas dificuldades em voltar ao trabalho pouco tempo depois do parto.



Ter um filho é algo que muda completamente a vida de uma mulher, desde o primeiro dia. Todas as novas obrigações, aliadas ao desejo de fazer o seu melhor para garantir que a criança tenha todas as suas necessidades atendidas, são algo que caminha com a mãe lado a lado, e pode dificultar muito sua rotina, especialmente quando precisa dar conta de outras tarefas, como as relacionadas ao trabalho.

Nesse sentido, é muito grande o número de mulheres que se sente insatisfeita com a duração da licença-maternidade. Elas acreditam que o tempo para ficar em casa, de apenas alguns meses, não é suficiente para acostumarem o filho a uma nova rotina, na qual não poderá contar com sua presença.

Também acreditam que não estão descansadas o suficiente para iniciar uma rotina ainda mais pesada, trabalhando fora e ainda dando conta de muitas coisas, quando chegam em casa, especialmente se não tiverem ajuda com o filho durante o dia.


Uma mãe que teve de enfrentar a difícil tarefa de voltar ao trabalho 12 semanas depois de dar à luz sua segunda filha usou as redes sociais para expor como se sentiu em relação a isso.

Rachael Larsen é uma jovem trabalhadora, que vive em Salt Lake City, nos EUA. Quatro anos depois de dar à luz sua segunda filha, ela resolveu compartilhar sua opinião sobre a rotina que enfrentou.

Na publicação, Larsen colocou uma foto sua no dia do retorno ao trabalho, chorando, com um texto bastante reflexivo. Ela disse que teve as 12 semanas de licença-maternidade, mas que nem ela nem a filha estavam prontas para que ela voltasse a trabalhar.

Explicou que acordou cinco vezes na noite anterior para alimentar o bebê, por isso estava exausta, mas que, como a renda da família dependia do seu trabalho, teve de voltar à ativa.


A mãe afirmou que sabe que é privilegiada por receber auxílio-maternidade durante a licença, por poder parar para cuidar da recém-nascida e ter um bom trabalho e condições de pagar uma creche para a filha, mas que simplesmente não estava preparada.

Ela disse que todos precisamos apoiar mais as mães e as famílias, e que se sente feliz por compartilhar isso depois de tanto tempo.

Na publicação, as reações foram as mais diversas. Muitas pessoas se solidarizaram com sua situação e muitas mulheres relataram que sentiram a mesma coisa. No entanto, outras disseram que ela deveria ter pensado nisso antes de ter filhos.

Qual sua opinião sobre essa situação? Entenda o lado de Rachel?


Comente abaixo sua opinião e compartilhe o texto em suas redes sociais!

Fotógrafa encanta mostrando a beleza das crianças cacheadas. As diferenças devem ser celebradas!

Artigo Anterior

Depois de 42 dias em coma, com covid-19, homem vence a doença e ganha na loteria!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.